Executivo diz que motores a combustão não morrerão tão rapidamente assim

A oitava geração do Golf mal foi apresentada e a Volkswagen já está falando sobre a próxima. A revista inglesa Top Gear conversou com o departamento de motorização da marca sobre como o hatch médio irá sobreviver em um futuro sem motores a combustão. Ainda mais agora que a VW começou o seu plano de oferecer modelos elétricos com o ID.3, um hatch do porte do Golf e com preço semelhante.

Lars Hentschel, da VW, explicou à Top Gear que os motores a combustão não morrerão tão rapidamente assim e que ainda veremos carros movidos a combustível fóssil daqui a 10 anos. "Não tem como chegar a 100% de eletrificação em 2030. Mesmo o meu chefe, Sr. Diess [CEO da Volkswagen], não é tão otimista. Isso seria demais." Ele ainda menciona que está "convencido" de que haverá uma nona geração do Golf, que deve ser revelada entre 2027 e 2028, considerando que o modelo atual tenha um ciclo de vida de sete anos.

Como você deve saber, os esforços da Volkswagen para vender carros elétricos já causou a morte de uma variante do Golf e que, ironicamente, é justamente o e-Golf, versão elétrica do hatch. Seu fim abre espaço para o ID.3, que inicia a família EV da fabricante com a plataforma modular MEB, feita especialmente para elétricos.

Enquanto o e-Golf está morto, o número de opções híbridas do hatch médio cresceu. Além do GTE de 245 cv, a fabricante também irá vender o Golf Hybrid, com 204 cv, ambos com tecnologia plug-in. Eles oferecerão uma autonomia de aproximadamente 60 km e usam um conjunto de bateria de 13 kWh.

A eletrificação do Golf vai além de oferecer versões híbridas plug-in, com a adição dos modelos eTSI, equipados com motores a gasolina e tecnologia híbrida-leve, que reduz o consumo de combustível e emissões enquanto oferece um pouco de força em momentos que as rotações do motor ainda estão baixas. O 1.0 eTSI de três cilindros terá 110 cv, enquanto o 1.5 eTSI de quatro cilindros pode entregar 130 cv ou 150 cv. Em todos os casos, a Volkswagen promete uma economia de 10% em comparação às versões não-eletrificadas.

Mesmo que os motores a combustão realmente cheguem ao fim, é difícil imaginar o dia que a Volkswagen irá aposentar o nome "Golf", já que é o mais importante na história da empresa. Ele é usado há 45 anos e gerou mais de 35 milhões de carros vendidos em suas sete gerações, fazendo com que seja o carro mais vendido da marca.