Vídeo Teste VW Golf 1.0 TSI Automático: A jogada que faltava

Quem já dirigiu o Golf 1.0 TSI sabe que só faltava uma coisa: o câmbio automático. Agora não falta mais. Além da leve mudança no visual, o hatch médio produzido no Paraná ganhou o mesmo conjunto mecânico do Polo 1.0 TSI, que inclui a recalibração do motor. Ele recebeu mais itens de série desde a versão de entrada, mas também ficou mais caro. Será que vale a pena abraçar o Golf de entrada ou ficar com o Polo top de linha? É isso que vamos responder agora.

O que é?

Versão de entrada da linha, este Golf tem no conjunto mecânico as novidades mais significativas. Ele vem equipado com o recalibrado motor 200 TSI (1.0 Turbo com injeção direta), que gera potência de 128 cv a 5.500 rpm com etanol (116 cv/gasolina) e 200 Nm (20,4 kgfm) de torque, com gasolina ou etanol, a partir de 2.000 rpm. Ele é associado ao câmbio automático de 6 marchas, caixa AQ250-6F, com conversor de torque e opção de troca manual na alavanca ou pelas aletas no volante. Câmbio manual e motor 1.6 aspirado? Só no Polo. De agora em diante, o Golf tem somente câmbio automático e motores turbo.

VW Golf 200 TSI (1.0 Auto) 2019

Além do powertrain, o Golf 2018 traz uma leve reestilização, com direito a novos para-choques, faróis que mudam o desenho dos elementos internos e ganham luzes de uso diurno de LED. Na traseira, as lanternas são em LED com nova assinatura noturna. São mudanças tão sutis que só serão notadas pelos fãs do carro, passando despercebidas nas ruas.  

Por dentro, a novidade fica por conta da central Composition Media, que já vem...