Apesar de rumores sobre cancelamento, projeto segue firme e forte dentro da Stellantis

Considerado um dos lançamentos mais aguardados da RAM, o projeto que dará origem à nova picape média da marca definitivamente não morreu. Apesar dos rumores sobre cancelamento, fontes ouvidas pela agência de notícias Automotive News afirmam que os trabalhos em torno do modelo seguem sendo tocados e que a tão esperada camionete, de fato, deverá sair do papel.

A picape é um desejo de longa data da FCA, hoje Stellantis, para dar alcance global e maior volume de vendas à marca RAM. Concessionários clamam há anos por uma opção menor que a 1500 para acompanhar o boom da categoria e suceder a antiga Dodge Dakota, vendida no mercado norte-americano até 2011 - e inclusive fabricada no Brasil no começo dos anos 2000. O nome Dakota, inclusive, poderá ser ressuscitado para batizar o novo modelo.

Galeria: Dodge Dakota 2008

Hoje sem representação direta entre as picapes médias, a RAM acompanha de longe o sucesso alcançado pelo segmento nos EUA. Só em 2020, a líder Toyota Tacoma emplacou no país 238.806 unidades, seguida pela Ford Ranger com 101.486 e Chevrolet Colorado com 96.555. A única participação da Stellantis na categoria é feita pela Jeep Gladiator, que vende bem (77.542 unidades no mesmo período), mas tem proposta mais voltada para o lazer e não para o trabalho como as concorrentes.

A nova Dakota não apenas complementaria a oferta da Gladiator no mercado norte-americano com versões mais baratas e de maior volume, como também representaria a marca RAM em mercados globais onde picapes médias com capacidade para 1 tonelada têm grande aceitação. É o caso do Brasil, onde o segmento é forte e a imagem da montadora mais ainda. Não à toa, os modelos 1500 e 2500 vendidos aqui têm filas de espera de meses. A 1500 Rebel, por exemplo, esgotou 100 unidades em apenas 18 horas na pré-venda.

Picape média - Ram (projeção)
Nova RAM Dakota - Projeção

Ainda na América do Sul, há amplo mercado para picapes médias em mercados como a Argentina, que concentra a produção de diversos modelos da categoria, como VW Amarok, Ford Ranger, Nissan Frontier e Toyota Hilux. Há demanda também na África, Oriente Médio, sudeste da Ásia e Oceania, com destaque para a Austrália. Até na Europa as médias têm espaço. Só a Ranger, por exemplo, vendeu quase 43 mil unidades por lá ano passado, seguida da Hilux com pouco mais de 25 mil.

Se o projeto seguir adiante sem interrupções, a aguardada RAM Dakota chegará ao mercado em 2022, tomando como base a plataforma da Jeep Gladiator. O lançamento no Brasil é bastante cotado, inclusive com produção local, de acordo com o UOL. A conferir.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Envie seu flagra! flagra@motor1.com