Chineses donos da Volvo já detêm 9,69% das ações do grupo alemão e planejam aprofundar a aliança

Apesar do cenário de crise e do momento delicado vivido atualmente pela indústria automotiva global, a gigante chinesa Geely parece ter planos pra lá de ambiciosos para 2020. Conforme revela reportagem da agência de notícias Reuters, o chefão da marca, Li Shufu, traça metas animadoras para este ano e não esconde o desejo de fortalecer alianças mundo afora.

Segundo o executivo, a empresa se prepara para “lançar vários novos produtos e serviços em mercados de todo o mundo”. Entre as principais novidades, destaque para a chegada da marca Lynk & Co à Europa e possível estreitamento da parceria com o grupo Daimler, que controla a Mercedes-Benz.

Galeria: Geely Xing Yue

Detalhes sobre o fortalecimento da aliança ainda são desconhecidos, mas é fato que ambas as empresas já mantém boa relação há anos. Desde 2018, por exemplo, a Geely detém 9,69% de participação no conglomerado alemão. Em março de 2019, firmou mais um acordo, no qual passou a controlar 50% da Smart (marca de carros pequenos também de propriedade da Daimler).

Além dessa participação, a Geely concentra totalmente as marcas Volvo (desde 2010), Lynk & CO, London Electric Vehicle Company, Proton e Polestar. Sozinha, a Geely entregou em 2019 cerca de 1,36 milhão de carros e pretende vender 1,4 milhão neste ano. Shufu acrescentou ainda que o mercado chinês está voltando ao normal e que a paralisação relacionada à pandemia na cadeia global de suprimentos de automóveis é "temporária e gerenciável".