Teste Instrumentado - Porsche 911 GTS bate recordes em nossas medições

Os puristas fãs da Porsche já torceram o nariz por muitas coisas: o fim do 911 refrigerado a ar, o lançamento de um SUV da marca (Cayenne) e, mais recentemente, a troca dos motores aspirados pelos turbos. 

Com o tempo, porém, as decisões da marca foram se mostrando acertadas. Um 911 refrigerado a ar não conseguiria obter os valores de torque e potência dos atuais, e muito menos atender às normas cada vez mais exigentes de emissões. O lançamento do Cayenne, por sua vez, deu tão certo que fez a marca ganhar dinheiro para investir nos esportivos legítimos. Fez tanto sucesso que ganhou irmão menor, o também exitoso Macan. Então, não há porque torcer o nariz para os 911 turbinados. 

Porsche 911 GTS

Isso nos leva ao GTS desta reportagem, que estreou neste ano como opção da linha 911 entre o Carrera S e o Carrera GT3. Para justificar as três letrinhas espalhadas pela carroceria (sigla de Gran Turismo Sport), o GTS traz modificações que ficam à mostra logo de cara, como a traseira alargada (vinda das versões Carrera 4, com tração integral) e as rodas pretas aro 20" com cubo único, ao melhor estilo "carro de corrida". Muda também o desenho do para-choque dianteiro, com uma entrada de ar mais larga. 

Porsche 911 GTS
Porsche 911 GTS

O motor é o mesmo 3.0 de 6 cilindros opostos (boxer) do Carrera S. O que troca é o turbo, que tem diâmetro maior na turbina (48 contra 45 mm) e no compressor (55 contra 51 mm), além de trabalhar com a pressão elevada: 1,25 bar contra 1,1 bar. O resultado são 450 cv de potência e 56,1 kgfm de torque, ...