Produção de veículos em novembro foi 15,2% maior que a do mesmo mês de 2016

A indústria automobilística segue dando sinais positivos de recuperação. Em novembro, foram produzidos 249,1 mil veículos no Brasil, número que representa crescimento de 15,2% na comparação com o mesmo mês de 2016.

Os números, divulgados nesta quarta-feira (6) durante coletiva pela Anfavea (associação que reúne as principais montadoras), mostram que a produção e exportação já ultrapassaram os dados de 2016. No acumulado de janeiro a novembro, a indústria soma 2,486 milhões de veículos produzidos, número que representa crescimento de 27,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Hyundai Creta - Exportação Uruguai

Em relação às exportações, Antônio Megale, Presidente da Anfavea, classificou novembro como "mês excepcional, atingindo o recorde histórico mensal e também no acumulado do ano". Em números, foram exportados 73,1 mil veículos em novembro, alta de 28,8% em relação a 2016. No ano, o volume de exportações já superou as 700,9 mil unidades, um crescimento de 53,3% no mesmo período de 2016.

Para Megale, o bom resultado nas exportações é um dos frutos do Inovar Auto, pois possibilitou à indústria nacional produzir veículos mais modernos e de qualidade mais elevada que, consequentemente, passaram a ser interessantes também para outros mercados.

Leia também:

Rota 2030

Assunto muito comentado durante a coletiva foi o novo programa para a indústria automobilística, o Rota 2030. Megale acredita que o marco legal do Rota 2030, ou seja, um documento de intenções, seja publicado ainda este ano. Desta forma, as negociações seguem durante 2018.

O presidente da Anfavea também acredita que o etanol é uma vantagem estratégica do Brasil. Para Megale, o balanço que se faz no mundo é que a melhor solução para a neutralização das emissões de poluentes é o etanol brasileiro. Embora globalmente se fale em incentivos para carros totalmente elétricos, a Anfavea aposta no uso do combustível vegetal, inclusive em conjunto com a tecnologia híbrida, como solução sustentável para o Rota 2030.

Fotos: divulgação