Em países asiáticos como a Indonésia e as Filipinas, a mobilidade sobre duas rodas está enraizada na própria estrutura da sociedade. Muitas pessoas dependem das motos e das scooters para se locomoverem quase que diariamente - o que contrasta fortemente com o fato de os veículos de duas rodas serem vistos principalmente como recreativos em outros lugares.

Dito isso, as scooters são a regra na Ásia. E, assim como suas irmãs mais premium do outro, as fabricantes as enchem de tecnologia e recursos em uma tentativa de criar o melhor veículo para deslocamento. Um bom exemplo disso é a popular Yamaha NMax, uma scooter que é adorada tanto pelos usuários quanto pelos entusiastas, graças à sua simplicidade e desempenho nos mercados do Sudeste Asiático.

Na Indonésia, a Yamaha acaba de lançar a nova geração da NMax para celebrar os 50 anos de operações naquele país. Batizada de NMax Turbo, a scooter urbana certamente tem um nome enganoso, pois, para a surpresa de ninguém, ele não usa turbocompressor. É uma estratégia similar à usada pela Porsche em seus veículos elétricos.

Não, o novo NMAX Turbo da Yamaha não é de fato turboalimentado

Em vez de um turbo propriamente dito, ela está usando uma tecnologia que, segundo a Yamaha, proporciona um aumento repentino de aceleração - mais ou menos como um turbo. Talvez daí venha o nome. Trata-se apenas de um CVT assistido eletronicamente, ou o que a Yamaha chama de Yamaha Electric CVT (YECVT). A tecnologia oferece aos motociclistas dois modos - S-Mode para condução normal e T-Mode para maior desempenho. A seleção do último modo fornece à scooter um impulso assistido por eletricidade, facilitando as manobras de ultrapassagem.

Quanto ao motor em si, é a mesma unidade Blue Core de 155 cm3 como a NMax nacional, arrefecida a líquido e com injeção de combustível. No modo normal, sem aumento de potência, esse motor produz cerca de 15 cavalos de potência e 1,42 kgfm de torque na configuração para a Indonésia.

Não, o novo NMAX Turbo da Yamaha não é de fato turboalimentado

Outros recursos tecnológicos que vêm de série incluem uma enorme tela TFT completa com integração de smartphone via Bluetooth, bem como luzes totalmente em LED alojadas em uma carroceria mais esportiva e angular.

Mas vale ressaltar que a NMax Turbo não tem turbo, ela tem apenas uma tecnologia sofisticada que a faz acelerar mais rápido momentaneamente. É um nome enganoso que certamente deixará as pessoas que desejam uma scooter voltada para o desempenho desapontadas.

Envie seu flagra! flagra@motor1.com