Van tem visual minimalista e oferece versão com motor híbrido plug-in pela 1ª vez na história entre os veículos comerciais da VW

Enquanto no Brasil a Kombi nos deixou em 2013 por conta da lei que obrigava a presença de airbags frontais e freios ABS em os veículos nacionais, na Europa a van continuou firme e forte batizada como Transporter. Posteriormente, a Volkswagen renomeou a Kombi moderna como Multivan no mercado europeu e agora ela acaba de ter apresentada sua sétima geração – considerando desde a Kombi T1 original de 1950.

Uma das maiores mudanças em relação a geração anterior (Transporter T6.1) é a nova plataforma, já que a nova Multivan T7 é feita com base na famigerada MQB, plataforma modular usada em boa parte da gama da Volkswagen. Aqui no Brasil, por exemplo, o recém-lançado Taos, além do Jetta e Tiguan Allspace usam essa base. Mas voltando para a van do velho continente, ela é ligeiramente maior que a antiga Multivan T6.1 mas otimiza bem o espaço, prova disso é a capacidade de 4.053 litros para bagagens (com todos os bancos rebatidos).

Galeria: Volkswagen Multivan T7 2022

Visualmente, a nova Multivan T7 se destaca pelo porte mais próximo de um veículo de passeio, enquanto que a antiga geração tinha um perfil mais próximo de uma van comercial tradicional. Seus destaques são os faróis mais afilados que se estendem através das luzes diurnas de LED pela grade (assim como o SUV Taos), frisos cromados que atravessam as laterais – interligando os faróis as lanternas que, por falar nelas, passam a trazer desenho horizontal, invadindo a tampa traseira.

Padrão no modelo, as portas corrediças continuam lá, enquanto que a versão apresentada hoje traz uma pintura estilo “saia e blusa”, uma clara homenagem à “Velha Senhora” da década de 1950.

A cabine

Indo para a ampla cabine, a Kombi do século 21 traz design com estilo minimalista, trazendo luzes ambiente, painel de instrumentos 100% digital com display de 10,25 polegadas, central multimídia com tela de 10” e sistema head-up display para projeção de informações no para-brisa – uma novidade entre os veículos comerciais da marca. Já o câmbio é acionado por meio de botões esquerdo do multimídia, livrando a porção central entre os bancos dianteiros (o freio de estacionamento convencional também saiu de cena) e aumentando o espaço interno.

Volkswagen Multivan T7

Na parte de trás do interior, o bacana é o sistema modular de bancos, já que os assentos da segunda fileira podem girar em 180 graus para “criar uma sala de conferência” dentro do veículo ou até então ser removidos quando é preciso transportar alguma carga. Uma mesa entre os dois bancos também é modular, e pode ser deslizada para trás ou para frente.

E engane-se que a Multivan T7 é apenas um veículo para trabalho pesado ou para servir como van de frota, pois na Europa ela é uma boa opção de veículo familiar. Prova disso é que a van é bem equipada: tem opção de teto solar panorâmico e rodas de 19 polegadas, faróis IQ.Light com sistema de acompanhamento de curva e farol-alto automático (o mesmo que estreou no Taos por aqui), portas USB para carregamento de celular e sistema de som Harmon Kardon com 14 alto-falantes e 840 watts de potência.

Volkswagen Multivan T7

Por fim, outro destaque são os mais de 34 assistentes para tratar da segurança, conforto e assistência e incluem no pacote o controlador de velocidade adaptativo, alerta de colisão com frenagem autônoma, assistente de permanência em faixa, entre outros.

Há outros recursos interessantes também como o Car2x, um sistema que comunicação que permite que a Kombi moderna “converse” com outros veículos e a infraestrutura local, assim avisando o motorista sobre os potenciais perigos da estrada que está dirigindo. O sistema We Connect Plus é gratuito por três anos e tem a disposição diversos serviços que vão desde assistência em caso de avaria, até serviços conectados com GPS informando em tempo real as condições de trânsito.

Motores

Por último, mas não menos importante, uma das principais novidades da Multivan T7: uma inédita motorização híbrida, que será usada pela primeira vez na história entre os veículos comerciais da Volkswagen. Chamado de eHybrid, o motor híbrido plug-in é formado pelo motor 1.4 TSI de 150 cv a outro propulsor elétrico de 85 Kw que, combinados, geram 218 cv de potência. A van vem equipada com uma bateria de íon de lítio de 13 kWh instalada sob o piso e trabalha junto com o câmbio automatizado de dupla embreagem de 6 marchas.

Há outros motores sem serem eletrificados na linha, como os propulsores turbo 1.5 TSI de 136 cv ou 2.0 TSI de 204 cv, sempre a gasolina e com câmbio DSG de 7 marchas. Para 2022 é esperado também a chegada de um motor a diesel com potência na casa dos 150 cv. A Volkswagen não divulgou dados de velocidade ou autonomia com o uso do motor elétrico, mas adianta que a Multivan T7 pode rodar por trajetos curtos no modo 100% elétrico.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com