Seria uma boa opção no Brasil como modelo de entrada abaixo do Fit?

O Fit vive uma vida dupla em diversos mercados. Ao mesmo tempo em que tem um perfil quase de minivan, é colocado como concorrente de hatches como o VW Polo e Toyota Yaris, por exemplo. Em fevereiro, uma patente registrada na Índia mostrava um curioso City hatchback, este sim com um perfil mais parecido com o dos concorrentes citados acima. O Indian Autos Blog fez então uma projeção de como será o carro final baseado nesse registro. 

O City hatch é baseado na nova geração do sedã, que deve chegar ao Brasil em 2021. Com isso, temos a dianteira com a nova identidade visual da Honda, mas com exclusividades que aparecem na parte traseira, mantendo as lanternas em duas peças e um spoiler na tampa que acompanha o vidro traseiro. Tem um estilo mais esportivo que o Fit, principalmente com a nova geração resgatando o perfil ainda mais minivan que ele teve na primeira encarnação. 

Projeção - Honda City Hatch
Projeção - Honda City Hatch

Se seguir o sedã, o City hatch usará o novo motor 1.0 turbo de 3 cilindros com injeção direta. Na Índia, ele gera 122 cv e 17,6 kgfm de torque de 2.000 a 4.500 rpm, algo que deve mudar por aqui quando este motor estrear em nosso mercado (provavelmente no novo Fit), com calibração flex. O 1.5 aspirado também pode continuar em uso em versões mais baratas. A transmissão será a CVT com simulação de 7 marchas. Logicamente, o comprimento irá mudar, mas pode usar o mesmo entreeixos do sedã, de 2,59 m, abrindo vantagem em relação aos 2,56 m do VW Polo. 

O Honda City hatch é um projeto que deve atingir mercados emergentes globalmente - Brasil incluso. Aqui, ele colocaria a Honda para brigar com, além do VW Polo, o Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Toyota Yaris e Fiat Argo, além de esperar a nova geração do Renault Sandero. Sua posição no portfólio da marca deve ser abaixo do Fit, deixando a nova geração como opção superior, mas mantendo um modelo mais acessível aos clientes. 

Galeria: Projeção - Honda City Hatch