Rumores apontam para eventual volta da versão Evo com base no Mégane RS

Enquanto a Mitsubishi ainda amadurece internamente a ideia de desenvolver uma nova geração para o sedã Lancer, os fãs mais próximos do modelo já começam a imaginar virtualmente quais seriam os caminhos de um novo design. Prova disso são as imagens desta matéria, publicadas pelo colegas russos do Kolesa.ru e criadas por Nikita Chuiko. As projeções imaginam o Lancer enquadrado na mais recente linguagem de estética da Mitsubishi e ganharam relevância depois do surgimento, há poucos dias, de rumores sobre um eventual ressurgimento do modelo com base na plataforma do Renault Mégane.

Publicada pela revista britânica Autocar, a especulação aponta para o lançamento da 11ª geração do Lancer, em versão Evolution, com motorização derivada do Renault Mégane RS da próxima geração (ainda sem data de estreia). A ideia seria manter a tradição e não transformar o emblemático Evo em um SUV, como outros rumores já chegaram a sugerir. Na prática, a marca aproveitaria a oportunidade criada com a aliança firmada junto ao grupo Renault-Nissan e agradaria diretamente aos fãs mais puristas do modelo. Além disso, o tradicional embate com o Subaru WRX STI seria mantido.

Detalhes mecânicos ainda são desconhecidos, mas na geração atual o Mégane RS Trophy e sua variante Trophy-R (que bateu o recorde de Nürburgring para carros de tração dianteira) utilizam o motor 1.8 turbo a gasolina de 300 cv e 40,8 kgfm de torque. Na próxima linhagem (cuja plataforma, teoricamente, será compartilhada com o Lancer), o modelo adotará um sistema híbrido-leve de 48V feito pela Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi aliado a um motor 2.0, gerando até 341 cv e 44,1 kgfm. 

Envelhecido e tecnologicamente desatualizado diante dos principais rivais, o Lancer sobrevive atualmente em poucos mercados, incluindo Brasil (com vendas fracas) e China (onde se chama Grand Lancer e possui visual de gosto duvidoso). O Evo, por sua vez, se despediu das linhas de montagem em 2015.

Fotos: Kolesa.ru