Grupo francês alega que irá "gastar mais que o previsto" para melhorar índices

A PSA pagou 1,3 bilhões de euros pela dupla Opel/Vauxhall em julho deste ano. Com isso, o grupo francês virou proprietária e responsável pelas duas marcas que, até então, pertenciam a General Motors. Mas parece que há uma falha nesta longa negociação. Segundo a PSA, eles irão gastar mais que o previsto para adequar as emissões dos modelos da Opel dentro das metas europeias de 2021. 

Leia também:

Por isso, a PSA está pedindo entre 600 e 800 milhões de euros de volta. Segundo a Reuters, a grande questão é que os níveis de emissões dos modelos da Opel, se mantidos como estão, gerarão multas quando as novas normas da Europa entrarem em vigor, entre 2020 e 2021. O limite será de 91 g/km, contra 130 g/km atuais. Se não cumprida a meta, a empresa paga 95 euros de multa por grama além do limite em cada carro vendido. Isso poderá dar um prejuízo na casa dos milhões de euros por ano para a PSA. 

2017 Opel Insignia GSi
Opel Crossland X

Ou seja, a PSA precisará investir um valor não previsto inicialmente em novos motores e propulsões alternativas, híbridas e elétricas, para enquadrar os carros da Opel nas normas. A PSA acredita que a GM escondeu algumas informações sobre os dados de emissões durante as negociações. Por outro lado a GM diz que forneceu informações suficientes para a PSA. 

Os planos da PSA para Opel na parte de motores estavam marcados para 2024, 4 anos depois do limite das novas regras, algo que poderia levar a empresa a falência com as multas. 

Fonte: Reuters