Empresas chinesa e brasileira dividirão responsabilidade no Brasil

Na madrugada de sábado, a Chery confirmou a compra de parte das operações brasileiras pela Caoa. O que antes era um boato, foi comunicado oficialmente na China e pode sinalizar um novo caminho para a única fabricante de automóveis chinesa a ter uma fábrica no Brasil. A Caoa, hoje responsável pela operação da Subaru e parte da Hyundai (menos linha HB20 e Creta) no Brasil, além de uma rede de concessionários Ford, será proprietária de 50% da Chery Brasil, com o pagamento de cerca de US$ 60 milhões. 

Leia também:

A negociação incluiu a fábrica de Jacareí (SP), que hoje produz o QQ e se prepara para a produção do SUV Tiggo 2. Com isso, a Caoa terá duas fábricas no país, com esta se juntando a de Anápolis (GO), de onde saem Hyundai Tucson, Ix35, New Tucson e HR. Esta conversa entre a empresa brasileira e chinesa acontece desde 2016, mas só agora, depois que a Chery colocou parte da operação a venda oficialmente, que ela foi concluída. 

Com isso, a Chery passa a se chamar Caoa Chery e todo o caminho daqui em diante será decidido entre um grupo de executivos brasileiros e outro chinês. Cada uma das empresas fica com metade da operação nacional. Segundo a Caoa, toda a linha de produtos e futuros lançamentos será revisada, com reflexo deste novo rumo já em 2018. 

Durante o Salão de São Paulo de 2016, a Chery anunciou uma série de novos modelos, com foco em SUVs. Este caminho, tendência do mercado, deve ser mantido, inicialmente com o lançamento do Tiggo 2, atualmente em fase de testes de rodagem e produção em Jacareí (SP).