Fiat-Chrysler pediu registro em abril, retomando nomenclatura usada pela Dodge

Líder de picapes no Brasil com a pequena Strada e a Toro, a Fiat deve uma opção para o segmento médio. Mas isso irá mudar nos próximos anos, pois a empresa já admitiu que estuda um modelo deste porte para o nosso mercado, que virá com a marca RAM. Esta picape pode ser batizada como Dakota, nome já foi usado pela Dodge até 2011 e que foi registrado pela Fiat-Chrysler nos Estados Unidos em abril, jogando lenha na fogueira sobre os rumores de que retomaria esse batismo.

A Motor Trend descobriu o pedido de registro de marca da Fiat-Chrysler para o nome "Dakota", nos Estados Unidos, feito no dia 29 de abril. Ele foi enviado para análise, o que pode levar um tempo. Poderia não ser nada, já que as fabricantes normalmente buscam proteção de alguns nomes que podem nunca ser usados. O que faz com que seja diferente no caso da Dakota é que o batismo já era cogitado pela empresa para a picape média inédita, como a revista Car and Driver revelou em julho do ano passado.

O desejo por uma picape média da RAM não vem só do Brasil, pois os concessionários da marca nos EUA pedem há tempos por um modelo deste tipo. Phil Bivens, chairman da associação de concessionários da FCA no país, disse no começo do ano que gostaria de ver uma picape abaixo da 1500. Porém, ele disse que não viu nenhuma dica por parte da FCA de que este modelo viria. O que é estranho, já que a fabricante confirmou há um tempo que desenvolveria este veículo e Mike Manley, CEO da FCA, afirmou que a RAM não desistiu dos planos.

Há alguns entraves atrapalhando a Dakota. Manley revelou aos investidores da Fiat-Chrysler que estava procurando pela plataforma adequada para a picape média e que ainda não havia encontrado. As primeiras informações indicavam uso da mesma base do Jeep Wrangler e, consequentemente, da picape Gladiator. Porém, isso faria que os custos fossem maiores que o planejado, pois a Dakota precisa ser mais acessível e com boa relação custo-benefício.

Caso a RAM Dakota vire realidade, a Fiat-Chrysler ainda terá que tomar outra decisão, esta para o Brasil. Como a Dakota seria um modelo de maior volume, colocá-la sob o chapéu da RAM seria um problema pela baixa quantidade de concessionárias. Uma alternativa seria adotar o emblema da Fiat, aproveitando toda a rede de lojas, porém isso também atrapalharia os planos de expansão da RAM no país. Mas isso será uma decisão para outro momento, já que ainda não há previsão para o lançamento da picape média.

Projeção: Motor1.com

Veja também: Nova Strada é a picape mais recente da FCA