Marca acredita que os sedãs são a alma da empresa, mesmo que eles tornem-se elétricos como o novo XJ

A Jaguar atualmente tem somente dois SUVs e, sua gama atual, o F-Pace e o E-Pace, ambos com bons resultados de vendas. A popularidade dos crossovers não irá impedir que a marca lance mais modelos deste tipo, mas isso não significa que a marca inglesa deixará de investir nos sedãs, seu segmento mais tradicional.

Como ficou evidente com a reestilização do cupê F-Type no ano passado e o futuro lançamento do novo XJ (fotos abaixo), a Jaguar continua comprometida a lançar modelos além dos SUVs. Isso é algo que também foi confirmado por Joe Eberhardt, presidente e CEO da marca na América do Norte, em entrevista à MotorTrend.

Galeria: Jaguar XJ elétrico - Flagras

"O futuro dos sedãs é um desafio para toda a indústria. Muitos de nossos concorrentes já disseram que irão se afastar dos sedãs. Nós não temos a intenção de fazer isso. O fato de que acabamos de lançar o F-Type reestilizado é prova de que ainda acreditamos em carros esportivos, especialmente na marca Jaguar. E enquanto o volume [de vendas] pode não ser o que já foi, nós ainda achamos que é o coração e a alma de nossa empresa."

Os sedãs obviamente serão mantidos na Jaguar. Mas o número, conceito e filosofia deste tipo de carro pode mudar para atender às demandas do mercado que está lentamente transitando para os veículos elétricos.

"Nós definitivamente sempre teremos sedãs. Não há dúvidas. Eu não sei como faremos, não tenho certeza, mas acho que eles serão um pouco diferentes. Por exemplo, a próxima geração do XJ será totalmente elétrica. É uma interpretação diferente de um sedã, mas ainda é um sedã", explica o executivo.

Galeria: Jaguar XE 2020