Montadora brasileira inverte o fluxo e começa mandar o sedã feito no ABC paulista para o mercado mexicano

Pouco tempo atrás o Brasil recebia mais modelos feitos no México do que enviava. A Volkswagen, com sua linha renovada, começa a inverter este fluxo com o início da exportação do Virtus para o mercado mexicano.

"O Virtus é um dos veículos que simboliza a Nova Volkswagen que estamos construindo. Ele foi totalmente desenvolvido no Brasil e está contribuindo para reforçar ainda mais a relevância da Volkswagen em toda a América Latina”, diz Pablo Di Si, Presidente e CEO da Volkswagen América do Sul e Brasil.

No México, a Volkswagen oferecerá apenas a versão 1.6 MSI nas configurações manual e automática Tiptronic. O preço inicial é de 275.990 pesos mexicanos, valor que equivale em conversão direta a R$ 55.320. 

Produzido na fábrica da Anchieta, em São Bernardo do Campo, o sedã já acumula mais de 64 mil unidades vendidas desde o seu lançamento, em janeiro de 2018. Deste total, 17.382 foram exportadas para mercados da região.  

Comparativo VW Virtus x Toyota Corolla

Embora a Argentina, principal destino dos carros brasileiros, esteja enfrentando uma grande queda, a Volkswagen se mantém em 2019 como responsável por 25% das exportações de automóveis e comerciais leves a partir do Brasil. 

Considerando todo o período de operação, a Volkswagen se mantém como a maior exportadora de veículos da história do Brasil. O total já superou a marca de 3,9 milhões de unidades enviadas para 147 países.

Fotos: divulgação

Galeria: VW Virtus Highline avaliação

Foto de: Redação