Marca amarga prejuízo anual entre US$ 565 milhões e US$ 792 milhões

Diante de um cenário onde SUVs, crossovers e picapes estão ganhando cada vez mais importância, a situação de quem tem uma linha formada basicamente por sub-compactos não é nada animadora. A alemã Smart, por exemplo, vive um momento de aperto financeiro e vendas em declínio que contrastam com o sucesso conquistado em um passado não muito distante. A marca é controlada pelo grupo Daimler e amarga anualmente perdas que somam entre US$ 565 milhões e US$ 792 milhões, segundo estimativas. A preocupação é tamanha que a própria Daimler reunirá executivos ainda neste ano para definir uma nova estratégia para a empresa - ou até mesmo extingui-la caso seja necessário.

Galeria: 2017 Smart ForTwo Electric

Informações originárias do jornal alemão Handelsblatt e publicadas pela agência Automotive News adiantam que deverá caber ao novo CEO da Daimler, Ola Kallenius, decidir sobre o futuro da Smart. As expectativas, no entanto, não são positivas tendo em vista que o executivo “não tem história com a Smart” e não teria “nenhum escrúpulo em matar a marca se necessário”. Na mais recente tentativa de recuperação, a Daimler resolveu transformara Smart em uma marca puramente elétrica, descontinuando todas as opções a combustão dos modelos ForTwo e ForFour. Este processo, porém, é muito caro e a longo prazo poderá não se sustentar.

Também pesa contra o fato de a Renault não demonstrar interesse em renovar a parceria para desenvolvimento conjunto de novos modelos. A aliança atual originou tanto o ForTwo e o ForFour quanto o Twingo e, sozinha, a Smart não terá capital suficiente para bancar o projeto de renovação de sua linha. "Os custos são simplesmente altos demais", dizem especialistas. Sem a Renault na jogada, a saída será buscar novas alianças e, nesse sentido, a chinesa Geely tem demonstrado grande interesse. A marca já detém 9,7% das ações do grupo Daimler, é também dona da Volvo e estaria disposta a adquirir 50% dos papéis da Smart. Detalhes dessa negociação serão revelados em abril.

Fonte: Handelsblatt via Automotive News