Empresa testa versões do Arrizo 5, Tiggo 2 e QQ para decidir o mais adequado

Além de mostrar novidades que já eram certas para o nosso mercado, como o Tiggo 5x, Tiggo 7 e o futuro Tiggo 8, a Caoa Chery aproveitou seu espaço no Salão do Automóvel de São Paulo para exibir carros elétricos. Os três modelos eram o Arrizo 5e, Tiggo 2e e o eQ, justamente variantes elétricas dos carros que são feitos em Jacareí (SP). Agora a fabricante está trabalhando na nacionalização de um deles, com lançamento previsto até 2020.

De acordo com o site Automotive Business, as equipes de engenharia da Caoa Chery e a matriz da marca na China estão conversando sobre o processo de nacionalização. A ideia seria aproveitar que eles já são feitos em Jacareí, exigindo um investimento menor para lançar um carro elétrico. No momento, o modelo ainda não foi definido, podendo ser apenas um destes três ou até mesmo todos eles. Um dos gastos adicionais será uma parte separada na linha de montagem final, uma medida de segurança por usar um sistema de alta tensão.

Caso isso aconteça, a Caoa Chery conseguirá sair na frente oferecendo o carro elétrico mais barato do país, já que todos os demais são importados. No momento, o mais barato deles é o Renault Zoe, por R$ 149.990, embora a JAC já tenha iniciado a pré-venda do iEV40 por R$ 139.990.

“Acreditamos que precisamos entrar no mercado de carros elétricos e estamos na fase de definir com a Chery quais produtos vêm ao Brasil”, explicou Marcio Alfonso, CEO da Caoa Chery, durante o lançamento do Tiggo 7. “Também fizemos um convênio com a USP para estudar a mobilidade urbana e entender qual veículo e qual tecnologia são adequados para o País”.

Chery elétricos
Chery Arrizo 5e

Os três candidatos a carro elétrico da Caoa Chery no Brasil tem especificações bem diferentes. O eQ, versão do QQ, tem uma autonomia de 200 km e um motor de 57 cv. O sedã Arrizo 5e é mais robusto, com capacidade de rodar por até 410 km e um motor de 123 cv. Já o Tiggo 2e é o mais potente, com um motor de 129 cv, mas sua autonomia é de 351 km.

Fotos: divulgação e Donizetti Castilho
Fonte: Automotive Business