Teste Instrumentado Mini Cooper Countryman S - Que venham os filhos!

A geração anterior do Mini Cooper se proliferou mais do que um casal de coelhos. Além do tradicional hatch, do cabrio e da perua Clubman, já existentes, a marca inglesa investiu nos SUVs Countryman e Paceman, e nos esportivos Coupé e Roadster, de apenas dois lugares. Esses três últimos, você deve saber, não fizeram sucesso e foram descontinuados. Mas a atual geração ganhou mais um filhote, o hatch de quatro portas. Ao mesmo tempo, o Countryman cresceu e passou a ser quase uma versão inglesa do BMW X1, com o qual passou a dividir a plataforma UKL. Antes montado no Brasil, o Countryman voltou a ser importado. E nós passamos uns dias com a versão S All4, de tração integral. 

Novo Mini Countryman

Eu continuo sonhando com o hatch Cooper S, de preferência um daqueles 100 com câmbio manual que vieram em 2014/15, mas a vida é feita de concessões, meu amigo. Pai fresco, eu não posso mais me dar ao luxo de ter um carro compacto de 2 portas - e assim como eu, um monte de gente ganhou família e continua querendo ter um Mini. A resposta para esta necessidade, e também para quem adora dirigir mais "altinho", é o Countryman. Nesta segunda geração, nem sei mais se podemos chamá-lo de Mini, pois cresceu 20 cm em comprimento (agora 4,29 m), 3 cm em largura (1,82 m) e 8 cm na distância entre-eixos (2,67 m). Tem basicamente o tamanho de um Honda HR-V, nosso SUV compacto mais vendido. 

De fato, o espaço interno do Coutryman está bem maior, notadamente para os ocupantes do banco traseiro. Há um vão 7 cm maior para as...