"Jovem, esportiva, desejável, emocional - é assim que estamos posicionando a Seat", disse chefão

Dentro de um ambicioso programa de reposicionamento interno, o CEO do grupo Volkswagen, Herbert Diess, estabeleceu uma meta pra lá de ousada para a espanhola Seat: concorrer diretamente com a italiana Alfa Romeo. De acordo com o executivo, a marca reúne todas as condições necessárias de entrar na briga e apresenta enorme potencial de sucesso diante da renovação pela qual vem passando. "Jovem, esportiva, desejável e emocional, é assim que estamos posicionando a Seat", disse Diess em entrevista à Automotive News.

Mais sobre a Seat:

"Hoje, a Seat tem um mix de produtos muito melhor do que há alguns anos e conta com os clientes mais jovens de todo o grupo. Acredito que essa marca ainda tenha muito mais potencial", completou. Hoje, a marca oferece em seu portfólio desde o compacto Ibiza (primo do VW Polo) até o SUV Ateca (equivalente ao Tiguan), passando pelo León e pelo pequeno Mii.

Entre as estratégias para colocar o objetivo em prática, destaque para a atração de clientes que são jovens e, por conta disso, não se lembram dos dias de glória da Alfa Romeo. "Para pessoas da nossa idade, é uma marca fantástica, mas desde que me lembro, a Alfa está em declínio", acrescentou Diess. "Pergunte a uma pessoa de 25 a 35 anos sobre a Alfa, eles estão perdidos, eles não têm idéia do que é a Alfa".

SEAT Ateca FR 2017

Diess quer reposicionar as marcas dentro do grupo Volkswagen de acordo com cada vocação. Na prática, a Volkswagen continuará sendo a principal marca de volume, enquanto a Skoda será mantida como alternativa racional orientada para a relação custo-benefício. Já a Seat assumirá o papel de opção mais esportiva, especialmente com a recém-lançada divisão de alto desempenho Cupra.

A fabricante vem colhendo resultados financeiros bastante positivos ultimamente e, só no acumulado deste ano, já registra lucro 63% maior que o alcançado no ano passado.

Fonte: Automotive News

Galeria: SEAT León ST Cupra 300