Em pauta, o poder de negociar e conhecer o produto ao vivo versus a comodidade de não sair de casa

Cada vez mais consumimos produtos sem precisar sair de casa para comprá-los. E até mesmo os automóveis começam a ser vendidos assim, principalmente após o período de quarentena no qual os concessionários precisaram ficar fechados. Diversas montadoras já oferecem a opção do comprador escolher, configurar e pagar seu carro novo sem sair do sofá, totalmente on-line.

Mas até onde isso vai funcionar no Brasil? Com a concessionária fazendo simplesmente o papel de entregadora do veículo (por lei local, a montadora não pode vender e entregar diretamente ao público), o consumidor perde um importante fator histórico na compra do carro: a negociação em busca de qualquer desconto ou vantagem, desde um jogo de tapetes até a documentação completa. E, claro, a oportunidade de conhecer o produto ao vivo, ver a cor, sentir o tato da cabine, etc.

 

Ouça nosso Podcast gratuitamente nas plataformas

No programa desta semana, explicamos quais as vantagens na hora da compra no concessionário. Com uma política já conhecida de descontos, aquele café com o vendedor pode ser uma vantagem para o comprador na negociação, já que a venda presencial permite esse tipo de prática, algo que a venda on-line pelo site do fabricante praticamente impossibilita. Fora aquele jogo de números na hora de entregar seu carro usado na troca...

Galeria: Mitsubishi L200 Triton Sport GLS (concessionária)

Ao mesmo tempo, a compra do carro novo ainda tem o lado do sentimento. Mesmo em carros populares, é importante provar e conhecer ao vivo aquele que será seu companheiro de praticamente todos os dias e ver se é realmente aquilo que você quer e precisa, sem medo de se arrepender. Mesmo com a quantidade de informações que a internet e diversos meios fornecem, a velha experiência sensorial ainda tem papel importante na decisão de compra. 

Dê o play e entenda como tudo isso funciona e como pode afetar a sua vida. 

Envie seu flagra! flagra@motor1.com