Motor 1.5 turbo, amplo pacote de equipamentos e preços competitivos são armas do sedã sino-brasileiro

O Salão do Automóvel servirá de palco para a primeira aparição pública do Chery Caoa Arrizo 5. Já estivemos, porém, na fábrica da marca em Jacareí (SP) para o primeiro contato com o sedã, por enquanto apenas estaticamente. Ao lado do subcompacto QQ e do crossover Tiggo 2, o Arrizo é o mais novo produto da marcha chinesa após a compra da operação brasileira pelo grupo Caoa. 

Antes de falar sobre o sedã, a marca se preocupou em mostrar como está lidando com as necessidades dos clientes. Depois de a Caoa assumir a empresa, a quantidade de concessionárias aumentou consideravelmente. Serão 100 lojas até o fim de 2018, todas com nova identidade visual da marca e especializadas também no pós-vendas.

A Caoa Chery deixou bem claro ainda que vem trabalhando arduamente na melhoria da qualidade e da engenharia de seus carros. Com fornecedores renomados como Michelin, Bosch e Magneti Marelli, busca a nacionalização da maior parte possível dos seus modelos vendidos por aqui. Hoje, a planta de Jacareí (SP) só não faz a prensagem das chapas, mas a soldagem e pintura, assim como a montagem geral, já são feitas localmente. 

Caoa Chery Arrizo 5

O Tiggo 2 foi um produto de transição, pego no fim do projeto pela Caoa. O Arrizo 5 é diferente. A nacionalização incluiu desde o visual, que tem para-choques diferentes do vendido na China, até a parte mecânica - acerto de suspensão, direção e câmbio. Poderemos comprovar isso quando dirigirmos o sedã em uma segunda oportunidade. 

Curiosamente, o Arrizo 5 brasileiro ficou menor que o chinês. Com 4.532 mm de comprimento, tem 40 mm a menos, além de 2.650 mm de entre-eixos (ante os 2.670 mm), mas manteve os 430 litros de porta-malas. Com isso, ele é menor que o rival VW Virtus em comprimento, mas tem entre-eixos maior (2.651 mm). 

O Arrizo 5 é o responsável pela estreia do novo motor 1.5 turbo flex da Chery. Enquanto na China o sedã se limita ao 1.5 aspirado, aqui ele tem turbo (sem injeção direta) e duplo comando variável, chegando a 150 cv de potência e 19,4 kgfm de torque. Sua base é o 1.5 aspirado do Tiggo 2. O câmbio será sempre automático CVT com simulação de sete marchas.

Caoa Chery Arrizo 5
Caoa Chery Arrizo 5

A Caoa Chery mostrou duas unidades, as primeiras produzidas em Jacareí (SP). Ou seja, ainda pode haver alguns pontos para correção. Mesmo assim, a montagem é boa, com apenas alguns gaps de carroceria precisando de ajustes, e o acabamento interno agrada pela qualidade das peças. Nas duas versões, o Arrizo terá partida por botão, central multimídia com tela de 7", ar-condicionado automático, direção elétrica, controles de tração e estabilidade, piloto automático, Isofix no banco traseiro e apoio de cabeça e cinto de segurança de três pontos para os cinco ocupantes. Na versão de topo, acrescentará rodas aro 17", teto-solar, airbags laterais e bancos em couro. 

A apresentação oficial acontecerá no Salão do Automóvel de São Paulo, entre 8 e 18 de novembro. As vendas, logo em seguida, com preços flutuando entre R$ 69 mil e R$ 79 mil. Esperamos também outras novidades no estande, inclusive como os dois SUVs (Tiggo 4 e Tiggo 7) que serão produzidos em Anápolis (GO) e lançados em 2019. 

Fotos: divulgação e autor

Galeria: Caoa Chery Arrizo 5