Tecnologia equipará versão vendida na Índia, mas poderá chegar também a outros mercados

Considerado um dos lançamentos mais aguardados do 2º semestre, o inédito Jeep Commander 2022 vai aos poucos perdendo o status de segredo e se tornando conhecido. Prova disso vem da Índia, onde o SUV também será produzido e a imprensa local adianta informações importantes sobre o conjunto mecânico. É o caso do motor 2.0 turbodiesel MultiJet, que segundo o site Autocar Índia será equipado com um sistema híbrido-leve de 48 volts.

O powertrain será uma das principais opções de motorização do modelo e, graças ao dispositivo híbrido-leve (que atuará principalmente em arrancadas), entregará índices otimizados de emissão de poluentes e consumo de combustível. Será a primeira vez que este propulsor, amplamente usado nos veículos da Stellantis, ganhará hibridização. Posteriormente, a tecnologia será adotada pelas demais marcas do grupo.

Galeria: Jeep Commander 2022 - Flagras

Desenvolvido em grande parte pela divisão brasileira da marca, o Commander será produzido em Goiana (PE) para abastecer a América Latina e na Índia para atender países da Ásia. No caso do Brasil, a própria Jeep já disse o modelo será um dos mais modernos fabricados nacionalmente. Terá tecnologias como piloto automático adaptativo, alerta de saída de faixas, aviso de ponto-cego, frenagem automática de emergência e o novo sistema multimídia com conectividade 4G com Wi-Fi a bordo.

Será baseado na plataforma do Compass, mas terá diversas diferenças do ponto de vista estético. Além do comprimento extra (que implicará em portas bem maiores e janelas mais amplas), terá dianteira com estilo próprio, inspirado no recém-lançado Grand Cherokee, e traseira com lanternas exclusivas. Por dentro, o espaço interno promete ser referência na categoria, com três fileiras de bancos capazes de acomodar até 7 passageiros. Na Índia, especificamente, haverá versões com poltronas individuais na fileira do meio.

Sob o capô, como já dito, o motor 2.0 turbodiesel será destaque. No Brasil terá potência recalibrada para algo próximo dos 200 cv, mas o sistema híbrido-leve ainda é uma incógnita. Será ofertado também o novo 1.3 turboflex, com potência de 185 cv. O câmbio será sempre automático, de 9 marchas no primeiro caso e 6 marchas no segundo. A tração será 4x4 nas versões turbodiesel, assim como no Compass.

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

Siga o Motor1.com Brasil no Facebook

Siga o Motor1.com Brasil no Instagram

Envie seu flagra! flagra@motor1.com