SUV posicionado abaixo do Kicks é aposta da marca para mercados emergentes

Depois de apresentação pública realizada há alguma semanas, a Nissan se programa agora para colocar efetivamente no mercado o novo SUV Magnite. Desenvolvido com foco em mercados emergentes, o modelo começará a ser vendido em breve na Índia e representará a marca em um dos segmentos mais competitivos do país - o de mini-crossovers com menos de 4 metros de comprimento.

A lista de concorrentes inclui nomes bem estabelecidos no mercado, como Ford EcoSport, Kia Sonet, Hyundai Venue e Mahindra XUV300. Para enfrentá-los, o Magnite apostará em linhas arrojadas, amplo pacote de itens de série e preços competitivos. Valores ainda não foram oficializados, mas desde já especula-se algo em torno de 550.000 rúpias (cerca de R$ 39.600 numa conversão direta).

Galeria: Nissan Magnite 2021

Dependendo da versão, a lista de itens de série incluirá ar-condicionado, saídas de ventilação para o bancos traseiro, pacote elétrico, rodas de liga-leve com acabamento diamantado, luzes diurnas de LED, sistema multimídia com tela de 8 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto, quadro de instrumentos digital com tela de 7 polegadas, câmera com visão em 360 graus, entre outros.

Sob o capô, serão oferecidas duas opções de motorização: 1.0 de 3 cilindros em versão aspirada de 72 cv e 9,7 kgfm de torque, e turbo com cerca de 100 cv. O câmbio poderá ser manual ou automático do tipo CVT. A plataforma usada é a CMF-A+, versão modificada da arquitetura do Renault Kwid e que é usada também em variantes do sub-compacto, como a minivan Triber e o futuro crossover Kiger.

Nissan Magnite no Brasil

Por aqui, o lançamento é aguardado para 2022, com produção local e posicionamento abaixo do Kicks, ocupando o lugar do recém-falecido March. Na prática, deverá enfrentar as versões de entrada do Ford EcoSport e o futuro SUV da Fiat desenvolvido com base no Argo.

Fotos: Divulgação