Modelo tem menos de 4 metros de comprimento e contará com motor 1.0 turbo de 100 cv

Poucos dias depois de divulgar o primeiro teaser, o Renault Kiger é revelado, ainda que na forma conceitual, confirmando o visual dos flagras e o nome previsto. Trata-se de um crossover baseado no Kwid, usando uma versão ampliada da plataforma, mas ainda assim com menos de 4 metros de comprimento.

É irmão de projeto do Nissan Magnite, que será produzido no Brasil em 2022. A boa notícia é que se trata de um modelo global, então tem chances de ser feito no país junto com o modelo da Nissan.

Desenvolvido na Índia, o Renault Kiger fará sua estreia primeiro por lá, chegando às concessionárias no começo do ano que vem. Apesar de ser um conceito, a marca diz que o design final será 80% do que está no protótipo - é fácil identificar os pontos que mudarão, como as enormes rodas de 19”, o formato dos espelhos laterais e outros detalhes. Os faróis e as finas luzes em LED ao lado da grade serão mantidos, como vimos em flagras do carro de produção.

Galeria: Renault Kiger Concept

Basta uma rápida olhada para identificar que realmente se trata de um parente do Kwid. A grade tem estilo muito próximo e o formato da carroceria é praticamente o mesmo, com balanços um pouco maiores e entre-eixos alongado - consequência do uso da plataforma CMF-A+, uma variante mais longa que estreou na minivan Triber. Ainda não há imagens do interior, mas espera-se por algo próximo do que foi visto na Triber.

As medidas oficiais não foram reveladas, exceto pelos 210 milímetros de altura em relação ao solo. Se usarmos o Magnite como base, o Kiger deve ter 3,994 metros de comprimento, 1,758 m de largura, 1,572 m de altura e um entre-eixos de 2,500 m. É possível que tenha pequenas diferenças nas dimensões por questões de estilo, mas nada que altere drasticamente o seu tamanho.

Renault Kiger Concept
Renault Kiger 2021 - Flagra

Outro ponto em comum com o modelo da Nissan será a motorização. Contará com o motor 1.0 aspirado de três cilindros, que gera 72 cv a 6.250 rpm e 9,8 kgfm de torque a partir de 3.500 rpm. Espera-se que tenha uma transmissão manual e uma automatizada, ambas de 5 marchas. O segundo motor será o 1.0 turbo, também de três cilindros, fazendo sua estreia na linha da Renault. No Magnite, ele entrega 100 cv a 5.000 rpm e 16,3 kgfm entre 2.800 e 3.600 rpm, podendo ser combinado ao câmbio manual ou a um automático do tipo CVT.

A Renault deixa claro que o Kiger será um modelo global, afirmando que é o terceiro desenvolvido na Índia, após Kwid e Triber. Com os planos da Nissan de produzir o Magnite no Brasil a partir de 2022, a variante da Renault tem boas chances de aparecer por aqui, aproveitando para reduzir os custos de produção e posicionando a marca em um novo segmento antes da concorrência.

 

Fotos: divulgação