Informação foi antecipada por Andrew Birkic, chefe da Ford na Austrália

Apesar de estarem sendo desenvolvidas em conjunto, as novas gerações de Ford Ranger e Volkswagen Amarok terão posicionamentos diferentes quando chegarem ao mercado. Pelo menos foi o que garantiu em entrevista recente Andrew Birkic, novo presidente da Ford na Austrália. De acordo com o executivo, a picape da marca americana será protagonista e terá certas vantagens sobre a irmã de projeto.

“Temos luxo, temos algumas vantagens sobre eles [Volkswagen]”, disse Birkic. “Acho que Amarok terá posicionamento distinto, ainda não tenho ideia. Eles vão trazer uma dinâmica diferente”, acrescentou. As declarações do executivo coincidem com outras informações que já haviam sido adiantadas, especialmente no que diz respeito ao papel que cada marca desempenhará no acordo.

Galeria: Ford Ranger Raptor 2022 - Projeção

Como já dito, a parceria prevê o desenvolvimento conjunto das picapes, mas dentro de um projeto que será capitaneado por uma equipe de engenharia da Ford. Dessa forma, a gigante norte-americana tocará a maior parte dos trabalhos e a Volkswagen fará uma adaptação a partir disso. A própria VW confirmou isso e maio e posteriormente, em junho, confessou que não haveria nova geração para a Amarok caso o acordo com a Ford não tivesse sido fechado.

Outra informação já conhecida diz respeito ao local de produção. Ao contrário da atual geração, a Amarok não terá a Argentina como base produtiva para o mundo. A partir de 2022, esse papel será desempenhado pela fábrica de Silverton, na África do Sul, de onde a picape será enviada para diversos mercados globais. A unidade é de propriedade da Ford, já produz a Ranger e continuará produzindo na próxima geração.

Ford Ranger
Volkswagen Amarok

A fábrica argentina de Pacheco, portanto, fará a Amarok até 2022 e partir daí dedicará exclusividade ao SUV médio derivado do projeto Tarek, que se chamará Taos e chegará ao Brasil em 2021. Já a Ranger, ao que tudo indica, continuará sendo produzida na Argentina como acontece hoje. A Ford ainda faz os cálculos para viabilizar os planos, mas tudo soa positivo levando em conta a importância estratégica da Ranger no portfólio local da marca.