Fábricas, funcionários e concessionárias serão transferidas para joint-venture, controlada pela fabricante indiana

A reestruturação da Ford continua a afetar diversos mercados. Agências de notícias como Bloomberg e Reuters reportam que a fabricante finalizou os planos para deixar a Índia, criando uma joint-venture com a Mahindra para que a fabricante indiana controle a operação local da marca norte-americana. O acordo entre as duas empresas será assinado na semana que vem.

Galeria: Ford Freestyle - India

Os rumores de que a Ford deixaria de operar na Índia de forma independente circulam há alguns meses. O acordo determina que a Mahindra terá 51% da joint-venture, cuidando de toda a operação, enquanto a Ford terá direito de voto igual e um representante na diretoria. As duas fábricas passarão para a nova empresa, embora a Ford vá continuar com o controle da produção de motores. Todo o resto da operação continuará por meio da joint-venture, como produção, vendas e exportação.

Esta decisão é uma maneira da Ford tentar recuperar parte dos mais de US$ 2 bilhões investidos na Índia, que é o quarto maior mercado automotivo do mundo. Porém, a marca norte-americana tem somente 3% de participação em um país em que a Maruti Suzuki domina com 50% de market share. Este acordo ajudará a manter a Ford no mercado local e dividir os custos financeiros com a Mahindra.

A Índia era uma das pedras no sapato de Jim Hackett, CEO da Ford. O executivo criou um plano de reestruturação de US$ 11 bilhões, para acabar com qualquer prejuízo na operação da empresa. Entre as medidas adotadas pela fabricante, está o fechamento da fábrica em São Bernardo do Campo (SP) – agora em negociação para ser vendida para o Grupo CAOA; o fim da operação na Rússia; e o fechamento de quatro fábricas na Europa.

Não foi só a Ford que teve problemas na Índia. A General Motors também deixou o país há dois anos, perdendo um investimento de US$ 1 bilhão no país. Outra que se prepara para deixar o mercado indiano é a Fiat, acabando com a produção de Punto e Linea e encerrando sua operação local, algo previsto para 2020. O mercado indiano já enfrenta dificuldades de modo geral, com queda nas vendas nos últimos 10 meses.

Além da joint-venture, a Ford também fez uma parceria com a Mahindra para desenvolver veículos elétricos e SUVs. As últimas informações, divulgadas pelo site Financial Express, dizem que a aliança dará origem a 9 utilitários esportivos em diversos segmentos. Serão seis carros compartilhados entre as duas empresas (três para cada, mudando apenas o logotipo) e mais três modelos criados pela indiana exclusivamente para a Ford. Especulações dão conta de que dois dos projetos são um SUV médio rival do Jeep Compass e a nova geração do EcoSport.

Fonte: Reuters