Será a segunda grande montadora a deixar o país, depois da Chevrolet

Após fracassar na tentativa de se firmar como marca competitiva na Índia, a Fiat deverá encerrar suas operações e deixar o país. Oficialmente nenhuma declaração ainda foi dada, mas a imprensa local dá como certo o fim da produção dos modelos Punto e Linea dentro de no máximo um ou dois anos. A saída acontecerá principalmente por conta das vendas aquém do esperado e do desempenho crítico registrado nos últimos meses - só no acumulado de 2018, por exemplo, a queda é de significativos 76%, com apenas 490 unidades emplacadas do Punto e 95 do Linea.

Considerada equivocada por muitos especialistas, a estratégia inicial adotada pela Fiat na Índia girava unicamente em torno da plataforma do compacto Punto, justamente quando o mercado desejava SUVs e crossovers. A marca até tentou contornar a situação lançando versões específicas e com visual diferenciado, como as configurações Urban Cross, Avventura e Abarth, mas os efeitos práticos foram quase nulos. O mesmo vale para o sedã Linea, que atualmente é vendido em versão única, mas a preços pouco atrativos já que excede os 4 metros de comprimento e acaba pagando impostos extras.

Fiat Punto e Linea - Índia
Fiat Punto e Linea - Índia

O encerramento das operações deverá acontecer depois de 2020 e, com base no novo programa estratégico da FCA, caberá à Fiat centrar suas atenções apenas nos mercados onde já é bem estabelecida, ou seja, América do Sul e Europa. A representação do grupo FCA no país ficará a cargo da Jeep, que vem conquistando desempenho animador e registrado vendas recordes principalmente graças ao Compass.

O mercado automotivo indiano é considerado um dos mais dinâmicos do planeta e deverá chegar a 2020 na terceira colocação no ranking mundial. Apesar disso, já foi deixado recentemente por outra grande montadora ocidental: a Chevrolet, que encerrou as operações no país em 2017.

Fotos: Divulgação

Galeria: Fiat Punto e Linea - Índia