Modelos atuais farão transição com variantes híbridas ou híbridas plug-in

Após a circulação de rumores e especulações,a Porsche parece finalmente ter batido o martelo quanto à chegada da eletrificação aos esportivos Boxster e Cayman. Conforme relata nesta semana a revista britânica Autocar, ambos os modelos serão enquadrados na ambiciosa estratégia de longo prazo da marca e terão versões puramente elétricas na próxima geração. Detalhes ainda são limitados, mas a expectativa é que sejam montados sobre uma plataforma puramente dedicada (internamente chamada de PPE) e trilhem o mesmo caminho que será aberto neste ano pelo esperado Taycan, o primeiro esportivo 100% elétrica da montadora.

Galeria: Porsche 718 Boxster e Cayman GTS 2018

A Porsche chegou a fazer experiências de eletrificação com o Bosxter da geração passada, mas é consenso entre especialistas que carroceria de um modelo convencional não é adequada para este tipo de propulsão. Diante disso, o ideal é projetar o carro a partir do zero com as especificações suficientes para garantir o comportamento dinâmico digno de um esportivo. Essa é a razão para a nova versão chegar apenas na próxima geração - ou seja, algo para depois de 2023, conforme já adiantado recentemente pela própria marca. Antes disso, a linhagem atual poderá ganhar variantes híbridas para fazer a transição. 

Apresentada como conceito em 2011, a ideia de um Boxster elétrico era baseada na adoção de dois motores elétricos, cada um com 122 cv de potência e 27,5 kgfm de torque instantâneo, gerando um total de 242 cv e 55 kgfm de força. O carro era 185 kg mais pesado que o convencional, mas ainda assim precisou de apenas 5,5 segundos para chegar aos 100 km/h. A velocidade máxima era a 200 km/h para proteger a integridade da bateria e a autonomia era suficiente para rodar cerca de 170 km. O novo modelo, se realmente produzido, com certeza terá um powertrain bastante diferente.

Fonte: Autocar