Crossover será apresentado neste ano com motor 1.0 turbo e sistema híbrido-leve

A Ford adotou a estratégia de focar seus esforços no desenvolvimento e venda de SUVs e picapes, mesmo que isso esteja matando seus hatches e sedãs. E se este tipo de produto será seu futuro, então precisarão ter o máximo de modelos possíveis. Um deles será o Ford Puma, um novo utilitário compacto que foi mostrado rapidamente durante a apresentação do novo Escape e que ficará posicionado acima do EcoSport e abaixo da nova geração do SUV do Focus. A estreia será ainda em 2019.

Galeria: Ford Puma - Go Further 2019

O Ford Puma foi um cupê vendido no final dos anos 1990 e que agora retorna como um SUV – não é algo inédito, já que a Mitsubishi fez o mesmo com o Eclipse, agora um crossover chamado Eclipse Cross. Será construído com base na nova geração do Fiesta, assim como o EcoSport, mas foi desenvolvido para que resolva alguns de seus problemas, como o espaço traseiro, a capacidade do porta-malas e o acabamento interno.

Como a Ford só mostrou um teaser, não temos tantos detalhes assim do novo Puma. Sabemos que terá um porta-malas de 456 litros, 100 litros a mais do que os 356 l do EcoSport. A marca diz que será possível colocar duas malas de golf de pé no porta-malas, algo que teria sido pedido por consumidores consultados durante o desenvolvimento do carro.

Ford Puma - Go Further 2019

Outra informação já divulgada é sua motorização. O foco será no uso do motor 1.0 EcoBoost de três cilindros, o que não é uma surpresa (a Ford usa essa unidade turbo em praticamente tudo na Europa). Ele terá cerca de 155 cv e um sistema híbrido-leve, que recupera energia em frenagens e utiliza para aumentar o torque quando o motor estiver em baixa rotação. De acordo com a fabricante, o Puma deve ter um rendimento médio de 18,5 km/l.

Ford Puma - Go Further 2019
Ford Puma - Go Further 2019

Até o momento, o Ford Puma está confirmado apenas para a Europa, com produção na planta em Craiova (Romênia). Como é construído com uma atualização da plataforma B usada no Fiesta e que serve de base também para Ka e EcoSport nacionais, a possibilidade de virar nacional existe, recuperando o espaço que o Eco perdeu com a chegada de tantos rivais.

Fotos: Motor1.com