Design característico não se traduz necessariamente em carros pequenos, disse Florian Nissl

Embora receba críticas por parte dos consumidores mais puristas, a mudança vivida pela Mini nos últimos anos em termos de porte e posicionamento de mercado parece ter sido certeira do ponto de vista estratégico. Não por acaso, a marca ampliou seu portfólio, alcançou vários novos mercados e vem batendo recordes de vendas a cada ano. Para Florian Nissl, um dos principais executivos da área de design da marca, "ter um design reconhecível e característico não se traduz necessariamente em carros minúsculos".

Em entrevista concedida ao site australiano CarAdvice, Nissl disse que graças aos avanços em termos de modernidade e tecnologia não é mais necessário produzir carros invariavelmente pequenos. "Acho que as pessoas já começaram a se familiarizar com a ideia de que a Mini é uma marca que não necessariamente oferece carros que são 'mini' porque o nome diz 'Mini'. É possível fazer muito com a marca porque ela é muito forte do ponto de vista do design", afirmou.

Novo Mini Countryman

Prova disso pode ser vista no Countryman, atualmente o maior carro da marca. O modelo é considerado um crossover espaçoso, de porte considerável e ao mesmo tempo fiel ao design da marca. Não por acaso, é também um dos mais vendidos da empresa no mundo e já acumula no currículo duas gerações. 

Fonte: CarAdvice

Galeria: Novo Mini Countryman