Especificação do modelo explica porque teremos ele na América do Sul e não o Tiguan "curto"

É tanto SUV que a Volkswagen está preparando que a estratégia da marca acaba ficando um pouco confusa para quem está do lado de fora. Ontem mesmo (15) publicamos o flagra do T-Cross, modelo compacto derivado do Polo que vai brigar com Renegade, HR-V, Kicks e Creta, entre outros. Será apresentado no Salão do Automóvel, em novembro, e começará a ser vendido no início de 2019, com produção em São José dos Pinhais (PR). Já o SUV que mostramos agora é o Tharu chinês, que por aqui deverá se chamar Tarek, um modelo médio para enfrentar Jeep Compass e cia, a ser feito na Argentina até 2020. Será um carro para atuar abaixo do Tiguan, e explica porque a VW optou por trazer apenas a versão alongada AllSpace do Tiguan para o Brasil. 

Volkswagen Tarek - Flagra na China

Vamos lá: junto com essas novas imagens do Tharu/Tarek sem nenhuma camuflagem, vazaram também as primeiras especificações do modelo. Trata-se de um SUV com 4,453 metros de comprimento, 1,841 m de largura e 1,632 m de altura, com entreeixos de 2,688 m. Ou seja, são basicamente as mesmas medidas do Tiguan "curto", que a VW reservou para a Europa. A explicação para isso é que o novo SUV é mais simples não somente em acabamento como também em construção e oferta de motores e transmissões. Assim, ele terá preço intermediário entre o T-Cross e o Tiguan AllSpace, algo entre R$ 100 mil e R$ 130 mil em valores atuais.  

Feito na China em parceria pela joint venture Shanghai-Volkswagen, o Tharu terá duas configurações: uma 1.2 TSI de 116 cv com suspensão traseira por eixo rígido, e uma 1.4 TSI de 150 cv com multilink no eixo traseiro. Ambas virão com câmbio DSG de dupla embreagem e 7 marchas, e ainda não foi informado será haverá opção de tração 4x4 na versão mais forte. Serão três versões de acabamento, sendo a de entrada com rodas aro 15", sem cromados na linha dos vidros e sem rack no teto. A intermediária adiciona rodas aro 16", além do rack. Já a top tem teto solar panorâmico, rodas aro 17", cromados na linha das janelas e sistema de som da Beats, entre outros itens.  

 

Para o Mercosul, o mais provável é que o Tarek seja vendido única e exclusivamente com o motor 1.4 TSI de 150 cv, câmbio automático de 6 marchas e suspensão traseira por eixo de torção - exatamente como o Golf que lhe empresta a plataforma MQB. Com essa mecânica e acabamento mais simples que o Tiguan, além de uma oferta de equipamentos mais contida, garantiria a diferença de preço necessária entre eles.

Volkswagen Tarek - Flagra na China

Em termos visuais, o Tharu/Tarek não difere muito dos demais SUVs da VW, lembrando muito a versão curta do Tiguan. Destaca-se pelos faróis quadrangulares bem grandes, com as luzes principais e setas na parte de cima e um feixe de LEDs para iluminação diurna na parte de baixo. Tem também o vinco na altura das maçanetas do Tiguan e T-Cross, embora nele esse traço vai dos faróis até as lanternas traseiras, atravessando toda a lateral do modelo. A traseira também segue o que temos visto nos carros mais recentes da marca, com lanternas horizontais e duplas, com uma parte mais fina na tampa do porta-malas.   

Leia também:

Então a gama de SUVs da VW no Brasil ficará assim: T-Cross, Tarek e Tiguan, sendo que ainda haverá duas novidades - uma de entrada e uma topo de gama. A mais barata será uma versão Cross do Polo, que pode ter design diferenciado do hatch, enquanto o modelo de topo deverá ser o futuro Atlas Sport, uma espécie de SUV cupê na linha do BMW X6 e Range Rover Velar, mas obviamente com valores mais convidativos.    

Fonte: Automotor

Volkswagen Tarek - Flagra na China