Embalada pelo sucesso do Jeep Compass, categoria recebe novos modelos da Honda e Volkswagen

Após a enxurrada de SUVs compactos que atingiu o mercado brasileiro nos últimos anos, agora é a vez dos médios se renovarem. O sucesso do Jeep Compass (hoje o SUV mais vendido do Brasil) mostrou que havia espaço para modelos mais caros e sofisticados, como os também bem-recebidos Peugeot 3008 e Chevrolet Equinox. Agora, mais dois representantes do segmento trocam de geração: o Honda CR-V, pela primeira vez com motor turbo, e o VW Tiguan, que passa a vir na versão alongada AllSpace. Eis uma ótima oportunidade para reunirmos esses modelos num comparativo completo. Com preços de R$ 155 mil a R$ 180 mil, motores turbo de 1.5 a 2.0 litros, tração dianteira ou integral, 5 ou 7 lugares, qual o melhor desse quarteto?

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Honda CR-V Touring

Esqueça (quase) tudo que você conhece sobre o CR-V. Exceto pelo amplo espaço interno e prioridade para o conforto, a nova geração do SUV faz praticamente uma revolução. Tudo começa a partir da plataforma do Civic 10, que deu ao CR-V um novo patamar de dirigibilidade e suavidade de condução, além de equipamentos inéditos. Também o desempenho mudou da água para o vinho com a adoção do motor 1.5 turbo (mesmo do Civic Touring, porém com 190 cv e 24,5 kgfm) e do câmbio CVT capaz de simular 7 marchas - um conjunto que também se mostrou bastante eficiente em consumo. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Comparado aos demais, o CR-V se destaca pelo rodar equilibrado. A suspensão não é firme como a do 3008 nem tão macia quanto a do Equinox, conseguindo conciliar muito bem a absorção dos impactos do piso (ajudada pelos pneus de perfil alto) com uma condução segura na estrada e em curvas. Agora também há muito mais força para as ultrapassagens, embora o CVT faça o motor gritar demais quando se pisa fundo (característica que torna a condução um pouco sem graça), mesmo com a simulação de troca de marcha. Foi melhor que o Peugeot nas provas de desempenho, despachando de longe o antigo CR-V 2.0 aspirado: a aceleração de 0 a 100 km/h, por exemplo, baixou de cerca de 13 segundos no modelo anterior para ágeis 8,6 s. Não é tão rápido quanto o Tiguan ou o Equinox, mas não deixa mais o motorista passar raiva. 

Outra evolução se deu no sistema de tração 4WD, que prioriza as rodas dianteiras. A novidade é que ele ficou mais eficiente ao transmitir força para o eixo traseiro, quando as dianteiras perdem tração. É mais limitado que os sistemas do Tiguan e Equinox, que permitem travar o 4x4 (50% da força para cada eixo), mas já ajuda em terrenos escorregadios ou mesmo no asfalto molhado.  

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Importado na versão topo de linha Touring (antes era EXL), o novo CR-V traz itens exclusivos como o lane watch (câmera no retrovisor direito para evitar pontos cegos) e o head-up display (que ainda usa uma telinha acrílica como no 3008 antigo). Tem também bancos de couro com ajustes elétricos e memória (motorista e passageiro), sendo o único a apostar num tom bege claro para o interior, além de um (duvidoso) aplique imitando madeira no painel e portas. Vem ainda com tampa traseira elétrica que abre ao passar o pé sob o para-choque (que Tiguan e Equinox também trazem), teto-solar (não panorâmico) e painel digital com tela TFT colorida. Ficou devendo o Honda Sense, pacote de assistência ao condutor com alerta de ponto cego, de saída de faixa e piloto automático adaptativo (disponível no 3008 e no Tiguan). 

Se o antigo CR-V já era bom em receber os convidados, o novo mantém soluções do anterior e amplia o espaço. Segue com assoalho traseiro plano e a alavanca de câmbio incorporada ao painel. Com isso, entrega um espaçoso console central, com diversos porta-trecos e entradas USB, tomada 12V e HDMI. Há duas USB também para os ocupantes de trás, além de saída exclusiva do ar-condicionado. Já a multimídia de 7" é um pouco confusa (mesma do Civic), mas é bem servida de recursos (GPS e conexões Apple Car Play e Android Auto).

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

A questão que "pega" no CR-V é o preço. Como o modelo vem dos EUA em dose limitada de apenas 500 unidades ao longo de 2018, a Honda brasileira não se preocupou em adotar valores competitivos (lei da oferta x procura). Tabelado a R$ 179.900, ele custa o mesmo que o Tiguan, que é maior, mais equipado, leva 7 pessoas, tem motor 2.0 turbo... Ou seja, é um ótimo SUV, mas que talvez só os fãs da Honda topem pagar por ele. 

Peugeot 3008 Griffe Pack

Enquanto o CR-V e o Equinox são mais familiares, o 3008 disputa com o Tiguan o título de mais esportivo do segmento. E não estamos falando somente de desempenho, mas sim de tocada e comportamento. Tudo no 3008 foi pensado para instigar, desde o desenho do painel com o cluster elevado e o volante pequeno até o banco com espuma mais rígida, passando pela suspensão firme e direção direta. É do Peugeot a personalidade mais forte do grupo, se diferenciando tanto pelo design externo quanto pelo interior futurista. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Acontece que essa esportividade tem dois lados. O 3008 é bom de curva e tem a direção mais afiada do comparativo, mas também disputa com o Tiguan R-Line a posição de mais desconfortável do grupo. Foi amansado em relação ao 3008 anterior, que era uma tábua, mas ainda reclama nos buracos com suas rodas aro 19" e pneus de perfil baixo. Já o desenho arrojado do painel não agrada a todos por deixar a visualização do cluster por cima do volante (o que particularmente me agrada), mas o console central muito largo deixa o espaço menor que nos rivais para motorista e passageiro da frente. Ao menos os bancos firmes fazem massagem, e ainda com diferentes variações. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

O acabamento do 3008 também chama a atenção pelos botões metalizados, em especial os do tipo aviação no centro do painel, e pela forração em tecido no painel e laterais de porta. Faz belo conjunto com o quadro de instrumentos digital de 12,3" (que tem um curioso "contra-giros", em posição invertida, da direita para a esquerda) e a multimídia em posição "flutuante", que permite comandar desde o ar-condicionado até a intensidade da massagem do banco, passando pelo rádio, GPS e conexões Android e Apple. O espaço traseiro é bom, mas inferior ao dos demais, enquanto o porta-malas rivaliza com o do Honda (maior que o do Equinox, menor que o do Tiguan). 

Em movimento, o motor Prince (1.6 THP) e o câmbio automático de 6 marchas não decepcionam, mas também não dão conta de acompanhar os concorrentes. Com 165 cv e 24,5 kgfm, o conjunto é suficiente para a maioria das situações, porém, sem a reserva de força presente nos rivais. Tanto é que o 3008 segurou a lanterna nos testes de aceleração e retomada, por boa margem. Em compensação, brilhou nas provas de consumo, vencendo até mesmo o CR-V e seu eficiente CVT, tanto na cidade quanto na estrada. Na Europa, a PSA já apresentou uma nova versão deste motor, com 200 cv, e ligado a um câmbio automático de 8 marchas, mas por enquanto só para o hatch 308. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Enquanto não muda o powertrain, o 3008 estreia por aqui a versão Griffe Pack, que adiciona itens de segurança como piloto automático adaptativo, frenagem automática de emergência, auxiliar de permanência em faixa, detector de fadiga, sensor de ponto cego e o exclusivo leitor de placas de velocidade. É um pacote de respeito, só encontrado no Tiguan, que é consideravelmente mais caro. Mas o Peugeot é o único do quarteto que fica devendo a tração integral, útil não só na terra como também no asfalto.

O que tem cada um

Principais equipamentos CR-V Equinox Tiguan 3008
Ar digital  2 zonas  2 zonas  3 zonas  2 zonas
Multimídia  7"  8"  8"  7"
Piloto automático adaptativo  Não  Não  Sim  Sim
Tração integral  4WD  4WD com bloqueio  4WD com bloqueio  Não
Estacionamento semi-automático  Não  Sim  Sim

 Não

Alerta de saída de faixa  Não  Sim  Sim Sim 
Teto-solar  Simples  Panorâmico  Panorâmico (opc.)  Panorâmico
Tampa traseira elétrica  Sim  Sim  Sim  Não
Terceira fileira de bancos  Não  Não  Sim  Não

Chevrolet Equinox Premier

A chegada dos novos CR-V e Tiguan promete mexer com o segmento dos SUVs médios, mas uma coisa não muda: é do Equinox a melhor relação custo-benefício da turma. Pelo preço do 3008, o SUV da GM entrega o motorzão 2.0 turbo de 262 cv, câmbio de 9 marchas, tração 4x4 e amplo espaço. Fora isso, é único capaz de desbancar o Honda em termos de qualidade de rodagem e silêncio a bordo.   

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Mesmo já tendo dirigido algumas vezes o Equinox (inclusive durante duas semanas na virada do ano), ainda me surpreendo com o motor dele. Trazido da versão de entrada do Camaro lá nos EUA, o 4-cilindros rende 42 cv a mais que o 2.0 do Tiguan e 37 kgfm de torque, contra 35,7 do VW. Em resumo, é uma patada a cada aceleração, como mostra o tempo de 7,6 segundos na prova de 0 a 100 km/h. O Tiguan foi mais rápido, mas não pelo motor, e sim pelo câmbio (veja explicação no texto dele). A caixa de 9 marchas do GM é eficiente e suficientemente ágil, mas não tão rápida quanto a dupla embreagem do VW. 

Da mesma forma, a suspensão absorve muito bem os pisos ruins e a direção é leve sem ser boba. Pelo que anda, o Equinox poderia ter um acerto mais firme (como defendem alguns aqui na redação), mas para mim estragaria o conforto, que afinal é o que mais interessa num SUV familiar. Mesmo macio e com inclinação mais acentuada nas curvas, o modelo da GM é bem controlado e permite curvas velozes sem sustos. Acionar a tração 4x4 deixa o Equinox mais equilibrado, pois em 4x2 a traseira dá umas abanadas no limite. Já a frenagem foi a pior do grupo, com 6 metros a mais que o Tiguan (o melhor) quando vindo a 100 km/h. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Em termos de equipamentos, o Equinox agrada pela central multimídia bem completa e fácil de usar, além de um computador de bordo bem completo (que inclui até a distância para o carro da frente em segundos). Isso vem do alerta de colisão frontal, que se soma ao sistema de manutenção de faixa e ao alerta de pontos cegos na lista de itens de segurança do SUV. Curioso é que, em vez de aviso sonoro, neste GM é o banco do motorista que treme como aviso, incluindo os alertas do sensor de estacionamento. Há também um exclusivo alerta de verificação do banco traseiro (quando a porta de trás foi aberta antes da partida), para evitar o esquecimento de objetos ou até mesmo de crianças pequenas na cadeirinha. 

Como no CR-V, o Equinox aposta em tons claros no interior, mesclando cinza claro e preto. O painel é de plástico rígido, mas com partes forradas de couro para deixar o toque suave. É o único a não ter painel totalmente digital (velocímetro e conta-giros são analógicos), além de passar a impressão de ter o acabamento menos refinado. Não que empregue peças baratas com rebarbas, mas não está no mesmo nível dos rivais na escolha dos materiais. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Outros pontos negativos ficam por conta do porta-malas raso, de apenas 468 litros, e do grande raio de giro, que faz do Equinox o mais trabalhoso de manobrar em locais apertados. Durante as fotos na estrada, enquanto os demais eram capazes de retornar na pista apenas com um giro de volante, o SUV da GM exigia engatar a ré e manobrar para pegar o sentido contrário. 

Tiguan AllSpace R-Line

Se o seu orçamento for até R$ 160 mil, pode levar o Equinox que você estará muito bem servido. Mas, caso dê para esticar até os R$ 180 mil, aí o Tiguan vai um pouco mais além em recursos e equipamentos. Ele tem, por exemplo, um sistema de modos de condução (incluindo off-road), além de dois banquinhos no porta-malas para elevar a capacidade para 7 ocupantes. Também possui o painel digital com mais recursos e a melhor central multimídia. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

Como no Equinox, o Tiguan se destaca pelo motor 2.0 turbo. Embora não seja tão potente quanto o do GM, o EA-888 tem fama de proporcionar excelente desempenho seja em qual for a aplicação. E com o novo SUV não é diferente, ainda mais nesta versão atualizada que une dois sistemas de injeção (multiponto e direta) para melhor respostas em baixas e altas rotações, respectivamente. Mas o que fez o VW pular na frente do Chevrolet nas provas de desempenho foi a transmissão DSG de 7 marchas (caixa úmida). Além de ter mudanças mais rápidas, essa caixa de dupla embreagem conta com controle de largada, que ajusta motor e câmbio para a melhor saída possível. Resultado: 0 a 100 km/h em 7 segundos cravados, ou 0,6 s a menos que o Equinox. Com o dispositivo desligado, o tempo aumentou para 8,1 s.

O câmbio DSG também deixa o Tiguan mais ágil nas retomadas (foi o melhor do comparativo nas duas medições) e mais econômico na estrada, por oferecer o sistema coasting (no modo econômico de condução), que desacopla o motor da transmissão quando aliviamos o acelerador. Obviamente que gastou mais que os rivais de motor menor (CR-V 1.5 e 3008 1.6), mas se mostrou mais eficiente que o Equinox, principalmente na média de consumo rodoviária. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

O Tiguan também é o único capaz de acompanhar o 3008 num trecho sinuoso, embora não tenha a direção tão direta, e fica muito à vontade em velocidades elevadas, com excelente controle dos movimentos da carroceria. Os amortecedores não têm tanta carga quanto no Peugeot, mas as molas são rígidas o suficiente e as rodas aro 19" são calçadas com pneus bem largos (255/45 R19). Somada aos freios potentes, toda essa borracha garantiu uma frenagem de 100 km/h a zero em menos de 35 metros (melhor que muito esportivo compacto). O lado ruim desse conjunto aparece na cidade, onde o Tiguan parece não ter sido adaptado ao nosso piso. Além de bater "seco" nos buracos, os impactos são repassados à cabine sem muito filtro. 

Por dentro, o Tiguan se destaca pelo acabamento mais esportivo, com forração escura mesmo nas colunas e teto, sem falar no volante semelhante ao do Golf GTI (estranhamos somente as portas traseiras com plástico rígido, enquanto as dianteiras são revestidas de material macio). O cluster digital de 12,3" é o mesmo do Passat, com diversas visualizações para escolher, enquanto a multimídia de 8" tem a interface mais amigável, além de recursos legais como o logotipo das rádios nas memórias do som. Legal também é o sistema de modos de condução, que inclui a opção off-road para pisos escorregadios ou pedregosos. 

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox
Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox

O sobrenome AllSpace se justifica pela carroceria mais longa do comparativo (4,70 m) e pela presença da terceira fileira de bancos. Isso faz com que a segunda fila seja corrediça, para facilitar o acesso e a acomodação dos passageiros do "fundão". É um lugar para crianças ou caronas rápidas, mas não deixa de ser um diferencial do Tiguan perante à concorrência. Com os bancos recolhidos, ele tem o maior porta-malas do grupo, com 683 litros. Como dito no começo, o VW é o mais caro, mas o que não lhe falta é argumento para justificar o investimento.

Fotos: Christian Castanho  

Fichas técnicas

  VW Tiguan Honda CR-V GM Equinox Peugeot 3008
MOTOR

dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 1.984 cm3, 16 válvulas, turbo, injeção direta e indireta, gasolina

dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.498 cm3, turbo e injeção direta, gasolina dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.998 cm3, turbo e injeção direta, gasolina dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.598 cm3, turbo e injeção direta, gasolina
POTÊNCIA/TORQUE 220 cv a 4.300 rpm / 35,7 kgfm a 1.600 rpm

190 cv a 5.600 rpm /

24,5 kgfm de 2.000 a 5.000 rpm

262 cv a 5.500 rpm

37,0 kgfm a 4.500 rpm

165 cv a 6.000 rpm / 24,5 kgfm de 1.400 a 4.000 rpm
TRANSMISSÃO automatizada de dupla embreagem e 7 marchas, tração integral automática do tipo CVT com simulação de 7 marchas; tração AWD automática de 9 marchas; tração AWD automática de 6 marchas; tração dianteira
SUSPENSÃO independente McPherson na dianteira e independente multibraços na traseira independente McPherson na dianteira e multilink na traseira independente McPherson na dianteira e multibraços na traseira independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS  alumínio aro 19" com pneus 255/45 R19 alumínio aro 18" com pneus 225/60 R18 alumínio aro 19" com pneus 235/50 R19 alumínio aro 19" com pneus 235/50 R19
FREIOS discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS e ESP discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e ESP discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e EBD
PESO 1.785 kg em ordem de marcha 1.593 kg em ordem de marcha 1.693 kg em ordem de marcha 1.567 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.705 mm, largura 1.859 mm, altura 1.658 mm, entre-eixos 2.790 mm comprimento 4.587 mm, largura 1.854 mm, altura 1.689 mm, entre-eixos 2.659 mm comprimento 4.652 mm, largura 1.843 mm, altura 1.695 mm, entre-eixos 2.725 mm comprimento 4.447 mm, largura 1.906 mm, altura 1.625 mm, entre-eixos 2.675 mm
CAPACIDADES tanque 60 litros, porta-malas 686 litros tanque 53 litros, porta-malas 522 litros tanque 59 litros; porta-malas 468 litros tanque 53 litros; porta-malas 520 litros
PREÇO R$ 179.990 R$ 179.900 R$ 155.990 R$ 154.990 
Medições Motor1.com
  Tiguan CR-V Equinox 3008
  Aceleração
0 a 60 km/h 3,2 s 4,2 s 4,0 s 4,3 s 
0 a 80 km/h 4,9 s 6,1 s 5,7 s 6,6 s
0 a 100 km/h

7,0 s

8,6 s 7,6 s 9,7 s
  Retomada
40 a 100 km/h em D  5,5 s 6,6 s 5,9 s  7,1 s 
80 a 120 km/h em D  5,2 s 6,0 s 5,5 s  6,8 s 
  Frenagem
100 km/h a 0

34,9 m

40,1 m  41,0 m  37,6 m
80 km/h a 0 22,1 m 25,4 m  25,5 m  23,6 m 
60 km/h a 0 12,5 m 14,3 m  14,3 m 13,3 m
  Consumo
Ciclo cidade 7,5 km/l 9,2 km/l 7,2 km/l  9,8 km/l
Ciclo estrada 12,0 km/l 14,3 km/l 10,1 km/l  15,1 km/l

Comparativo Tiguan x CR-V x 3008 x Equinox