O quase fim das station wagons foi culpa de quem? SUVs, minivans ou do público mesmo?

Quem nasceu entre os anos 1980 e 1990, talvez começo dos anos 2000, tem pelo menos uma recordação que envolva uma perua. Segmento que já foi forte no mercado global, teve nomes fortes como Chevrolet Ipanema, Volkswagen Parati e Fiat Palio Weekend só para citar apenas alguns exemplos produzidos no Brasil. Inclusive, a página Save The Wagons nas redes sociais reúne diversos bons exemplos vivos. 

Os SUVs podem ser considerados os principais culpados por este quase fim das peruas? Aos poucos, os utilitários esportivos foram substituindo as peruas dentro do portfólio das marcas ao redor do mundo - e nas garagens da clientela, claro. No Brasil, a última a se despedir foi a Fiat Palio Weekend, que ficou praticamente esquecida por anos - e até mostramos uma projeção de como a Weekend poderia renascer com base na Strada

 

Ouça nosso Podcast gratuitamente nas plataformas

Mas o fim das SW já era previsto desde o começo dos anos 2000. Com a chegada das minivans, como Renault Scénic, Citroën Xsara Picasso e Chevrolet Zafira, o público já começou a migrar. Com maior espaço interno e versatilidade, elas conquistaram os compradores que deixaram de lado as peruas que, apesar da proposta familiar, não conseguiam brigar com as novidades da época. E isso só piorou quando chegaram os primeiros SUVs, principalmente os compactos. 

Galeria: Volvo V60 T5 (BR)

Audi RS 6 Avant 2020
Teste: Porsche Panamera Sport Turismo E-Hybrid

Os fãs de peruas, porém, ainda encontram algumas (caras) opções no Brasil, todas em segmentos premium. Volvo V60, Porsche Panamera Sport Turismo e Audi A4 Avant despontam como as quase únicas do segmento por aqui - mas isso não é por falta de modelos no exterior. Listamos os modelos de station wagons disponíveis lá fora e que são vendidas por marcas que estão no Brasil, como BMW, Toyota e Volkswagen, Kia, Renault e Peugeot. Por favor, salvem as peruas!