Primeiras impressões Renault Captur Intense 1.6 CVT - Para dobrar!

Renault Captur 1.6 X-Tronic CVT

 

A Renault está muito confiante no novo Captur com câmbio CVT. Mesmo não falando abertamente em números, a marca diz que a nova variante, com duas versões, será responsável por dobrar as vendas do modelo. Se olharmos os números de vendas mensais, isso significa se aproximar do Jeep Renegade e do Ford EcoSport, por exemplo. Ele tem capacidade para tal? Fomos conferir. 

Leia também:

 

Renault Captur 1.6 X-Tronic CVT

 

O que é?

A receita é quase conhecida. O câmbio variável é o mesmo já utilizado pela Nissan no Kicks, comercialmente chamado de X-Tronic CVT, e fabricado pela Jetco, empresa do grupo Renault-Nissan. A diferença entre o Kicks e o Captur está na quantidade de marchas simuladas (6 no Renault e 7 no Nissan) e na possibilidade de trocas manuais no Renault. Os SUV divergem também no motor que, por mais que tenham litragem semelhante, o 1.6 SCe da Renault é mais moderno e potente que o utilizado pela Nissan, produzindo 120 cv e 16,2 kgfm de torque com etanol. 

Para este primeiro test-drive, utilizamos a versão topo, Intense, com preço inicial de R$ 88.400. Acabamento e interior são idênticos aos da versão 2.0, que passou a custar R$ 91.900.  

Como anda?

Já tive experiência anterior com o Captur 1.6 manual - um carro OK. Com isso em mente, chego ao Rio de Janeiro (RJ) e parto em sentido a Niterói (RJ), n...