Ausência do controle de estabilidade de série e péssimo desempenho no impacto lateral justificam novos resultados

O Latin NCAP, organização não-governamental que faz testes de colisão com os carros na América Latina, divulgou os últimos resultados de 2020. Usando seu novo protocolo, a ONG fez o crash-test de Ford Ka e Hyundai HB20, este último pela terceira vez. E as normas mais rígidas fazem as primeiras vítimas do mercado brasileiro, pois ambos receberam nota zero na proteção.

Em seu novo protocolo, os carros devem ter controle eletrônico de estabilidade de série, ou a nota terá uma penalidade muito alta. No entanto, os problemas do Ford Ka e do Hyundai HB20 vão bem além disso, com um desempenho muito baixo na proteção para adultos e crianças. Ambos mostraram um resultado ruim na proteção da região do tórax no teste de impacto lateral, levando à nota zero.

O relatório diz que o HB20 apresenta uma boa proteção para a cabeça e pescoço do motorista, enquanto a região do tórax recebeu uma nota mediana no impacto frontal. O Latin NCAP até comenta que a estrutura foi considerada estável e poderia suportar uma carga maior. Seu problema aparece no teste lateral contra barreira móvel, obtendo a pior nota possível para a região do tórax, o que automaticamente reduz a nota para zero.

Um dos novos testes é o do efeito chicote, outro ponto em que o HB20 foi muito mal, mostrando um desempenho ruim e recebendo 0,14 pontos dos 3 pontos possíveis. O impacto lateral contra poste não foi feito por não ter airbags laterais de série. Sem frenagem automática de emergência e o controle de estabilidade de série, zerou também na proteção passiva para adultos. Isso faz com que feche a nota para adultos com 19%, 10% para crianças, 43% para pedestres e 14% para tecnologias de proteção.

No caso do Ford Ka, o desempenho foi bem parecido. Se saiu bem no teste de colisão dianteiro, com notas boas e medianas, além de ter uma estrutura estável. O grande vilão foi o teste lateral, onde teve o mesmo problema que o HB20, recebendo uma nota zero por causa do dano na região do tórax. Ainda foi pior do que o hatch coreano no teste de efeito chicote, zerando também nesta avaliação. Sem airbags laterais, ficou sem fazer o crash-test lateral contra post e zerou a proteção passível por não ter ESC e frenagem automática de série. O resultado final é 34% para adultos, 9% para crianças, 50% para pedestres e 7% em tecnologias.

Em nota, a Ford promete que vai aumentar a segurança do Ka com mais equipamentos:

"O Ford Ka atende e excede os requisitos legais de segurança nos países onde é comercializado. No protocolo anterior do Latin NCAP, o mesmo veículo foi classificado com 3 estrelas. A Ford está trabalhando para adicionar equipamentos de segurança de série na linha Ka, como controle eletrônico de estabilidade e airbags laterais"

E qual a diferença entre o HB20 testado agora e o crash-test revelado em outubro passado, quando o hatch passou de 4 estrelas para apenas 1 estrela? A razão está no protocolo usado e o momento da avaliação. Embora tenha mostrado somente em outubro, o teste teria sido feito antes da adoção do protocolo novo, que aconteceu pouco depois quando o Kia Picanto também zerou na avaliação. O Latin NCAP já havia adiantado que as novas regras passariam a ser usadas desde o subcompacto da Kia.

A Hyundai se manifestou com o seguinte comunicado:

“O HB20 Nova Geração foi testado e classificado publicamente pelo Latin NCAP de acordo com parâmetros em vigor em 2019, na época de seu lançamento para os países da América Latina. Após o lançamento, o Latin NCAP divulgou um novo protocolo de teste, a ser aplicado em 2020, e que apresenta especificações mais elevadas de segurança.

A Hyundai esclarece que não houve qualquer mudança na especificação das peças ou de qualquer item que possa afetar a segurança do HB20 desde seu lançamento até hoje. O resultado de zero estrela para o HB20 Nova Geração com base no novo protocolo de testes 2020 do Latin NCAP é, de fato, a consequência dos novos parâmetros aplicados, que são muito diferentes dos testes anteriores. O nível de segurança do HB20 fabricado hoje, novembro de 2020, é rigorosamente o mesmo do momento de seu lançamento, em setembro de 2019.

A empresa também reforça que todos os modelos do HB20 Nova Geração atendem integralmente as regulamentações legais de segurança, testes de colisão e homologação dos países em que são comercializados, apresentando inclusive itens únicos de segurança para o segmento da carros compactos, como o Sistema de Alerta e Frenagem Autônomo (FCA) e o Alerta de Mudança de Faixa (LDWS) em algumas versões.

A Hyundai entende e apoia os esforços do Latin NCAP para estimular os fabricantes de automóveis a adotarem níveis cada vez mais elevados de segurança em seus produtos, pois esse anseio está perfeitamente alinhado com a filosofia corporativa da empresa.

As novas referências de segurança propostas pelo protocolo 2020 de testes do Latin NCAP, que ainda não são mandatórias segundo as regulamentações legais na América Latina, já vêm sendo estudadas pela Hyundai como parte de seu programa regular de melhorias no HB20, o que deverá contribuir para uma melhor classificação no ranking em testes futuros. Airbags Laterais e Controle de Estabilidade, por exemplo, que são atualmente opcionais em algumas versões, já estão considerados para introdução como padrão de série para toda a família HB20 dentro do prazo mais curto possível”

Para receber a nota máxima de cinco estrelas, um carro deve alcançar a nota de 75% na proteção para adultos, 80% para crianças, 50% para pedestres e 75% nas tecnologias de assistência e segurança. Controle de estabilidade, aviso de cinto de segurança, frenagem automática de emergência, proteção de pedestres e airbags laterais são essenciais para conseguir chegar nestas notas.

Galeria: Ford Ka 2020 - Teste de colisão