Novas regras valem para o período 2020-2023 e devem dificultar a obtenção de nota máxima

Anunciado desde o final do ano passado, o novo protocolo do Latin NCAP para avaliação da segurança veicular na América Latina acaba de entrar oficialmente em vigor. Conforme explica a entidade, as regras atualizadas estão mais rígidas e devem exigir bem mais dos veículos para obtenção da nota máxima. Com as mudanças, o Latin NCAP se aproxima bastante do protocolo usado pelo Euro NCAP desde 2014.

A primeira semelhança diz respeito ao esquema de concessão de notas. A partir de agora, haverá somente uma classificação, de 0 a 5 estrelas, ao contrário do modelo atual que classifica de forma separada as estrelas para adultos e crianças. Para tanto, foi criado um sistema de porcentagem para indicar os resultados de cada categoria (adulto, crianças, proteção para pedestres e assistentes de condução).

Galeria: Fiat Argo e Cronos - Latin NCAP

Será exigida boa performance em todas as quatro áreas simultaneamente para concessão de notas altas. Desempenho ruim, mesmo em apenas um dos aspectos, renderá notas baixas. A classificação máxima de 5 estrelas será obtida apenas pelo veículo que alcançar simultaneamente as seguintes exigências: pontuação de pelo menos 75% na proteção para ocupantes adultos, pelo menos 80% na proteção para ocupantes infantis, pelo menos 50% na proteção para pedestres e pelo menos 75% no quesito tecnologias de assistência e segurança.

Além disso, recursos como controle eletrônico de estabilidade (ESP), lembretes de cinto de segurança dianteiro e traseiro, proteção de pedestres e proteção aprimorada contra impactos laterais ganham mais relevância. O mesmo vale para a oferta de recursos como frenagem de emergência autônoma, tecnologias preventivas como detecção de pontos cegos, assistência de manutenção de pista, entre outros, que renderão pontos.

2016 Toyota Hilux moose test fail

No caso do ESP, por exemplo, veículos que não oferecerem o item como padrão em todas as versões sofrerão penalização. A atuação do sistema também será avaliada agora na prática, por meio do temido teste do alce. Criado na Suécia, onde há grande presença desses animais em estradas, o teste avalia o comportamento do veículo em manobras evasivas e tem como objetivo verificar a capacidade de evitar com segurança obstáculos repentinos.

As provas são realizadas com desvios bruscos de rota em velocidades graduais (entre 30 km/h e 70 km/h), de modo a levar a suspensão ao limite com a transferência de peso de um lado para o outro. Os primeiros resultados obtidos dentro deste novo protocolo serão publicados antes do final do ano, provavelmente envolvendo entre três e quatro carros. As novas regras devem valer até o final de 2023.

Fotos: divulgação