Próxima geração deve manter bastante da identidade visual, mas em uma nova plataforma

Um novo Jeep Grand Cherokee está chegando. Já vimos diversos flagras até então, mas mesmo sem, sabemos que uma atualização é inevitável. O atual Grand Cherokee é datado de 2011 e, em um segmento tão movimentado como dos SUVs, isso é ser velho. E o atual Jeep é isso mesmo. 

Por sorte, temos os flagras e eles foram usados para criar estar projeções, sem camuflagens. Há alguns pontos criativos, já que os protótipos ainda não rodam mostrando muito de suas partes definitivas. Mesmo assim, estamos confiantes que a Jeep deve adotar uma posição conservadora para o visual exterior do Grand Cherokee. 

Galeria: Projeção Jeep Grand Cherokee 2022

Os flagras de junho mostram parcialmente a grade e os faróis, com as tradicionais sete barras e os faróis finos e horizontais do modelo atual. Esperamos que a grade cresça um pouco e os faróis fiquem um pouco menores, mas a dianteira será facilmente reconhecida como do tradicional modelo da Jeep. 

Da mesma forma, a silhueta do Grand Cherokee não deve ficar tão diferente do atual desenho. Em um segmento onde linhas contrastantes e grandes caixas de rodas estão em alta, o Grand Cherokee deve se manter conservador e não usar nada disso. Não deverá ser uma cópia exata do atual - fontes dizem que a plataforma será a mesma do Alfa Romeo Giulia, também do Stelvio. Isso significa maior entreeixos e uma possível terceira fileira como opcional. 

Falando no interior, não temos projeções dessa parte, mas algumas imagens revelaram que os engenheiros e designers querem colocar o novo Grand Cherokee em um patamar superior. Uma grande tela para o sistema multimídia está ao centro com o restante do painel e couro com costuras. O painel de instrumentos é digital e, mesmo com alguns botões, o interior é mais limpo e moderno se comparado ao atual, cheio de botões e ângulos. 

Galeria: Jeep Grand Cherokee 2022 - Novo flagra

Informações falavam que o Grand Cherokee seria lançado ainda este ano como modelo 2021, mas os imprevistos na indústria podem ter atrasado a apresentação para o próximo ano, ainda no primeiro semestre, nos Estados Unidos.