Ela alcançou 841,3 km/h no acidente que causou sua morte, superando recorde de 825,1 km/h feito em 1976

Em agosto de 2019, houve uma tragédia no mundo automotivo quando Jessi Combs morreu em um acidente, enquanto tentava estabelecer um novo recorde de velocidade em terra. Agora o Guinness Book of World Records reconheceu suas realizações durante essas corridas, nomeando-a oficialmente a mulher mais rápida em quatro rodas. A organização deu a ela o título de "registro mais rápido da velocidade terrestre (feminino)" por atingir 841,338 km/h.

Combs estava dirigindo um carro a jato em um leito de lago seco no deserto de Alvord (EUA), em um esforço para superar sua velocidade anterior de 641 km/h, registrada em 2013. Ela foi capaz de completar as corridas antes do acidente, e estes foram os números enviados para o Guinness. Sua nova velocidade foi suficiente para superar o recorde de Kitty O'Neil, que marcou 825,1 km/h em 1976.

Combs tinha apenas 39 anos quando ela morreu. Mesmo nessa idade relativamente jovem, ela conquistou uma posição de respeito no mundo automotivo, em grande parte dominado por homens, como fabricante, piloto e apresentadora em programas como Overhaulin'Xtreme 4x4Mythbusters e All Girls Garage.

Galeria: Jessi Combs morre em acidente

Ela alcançou sucesso nas corridas em muito mais do que em buscar recordes de velocidade. Ela foi a primeira mulher a conseguir uma vitória no evento King of the Hammers e venceu um campeonato nacional da série Ultra4. Ela também alcançou o 2º lugar em sua classe na Baja 1000 de 2011.

Para comemorar sua vida, o Petersen Automotive Museum em Los Angeles realizou uma exposição em 2019 chamada Jessi Combs: Life At Full Speed. Ela exibia suas motocicletas, equipamentos de solda e troféus de corrida. As doações feitas durante o evento foram para a Jessi Combs Foundation para apoiar mulheres em áreas envolvendo mecânica.