Risco de paralisação ainda em março é motivado pela falta de autopeças

Depois de afetar diretamente a produção industrial de países como China e Coreia do Sul, o surto causado pelo novo coronavírus poderá impactar a fabricação de veículos também no Brasil. De acordo com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), há sério risco de a produção brasileira ser interrompida já a partir deste mês de março por conta da falta de componentes importados.

A indústria nacional depende de autopeças produzidas principalmente na China, onde fornecedores foram obrigados a paralisar a produção em decorrência da epidemia. Quando não faltam peças, o problema é a escassez de navios para transporte, relata a associação. Atualmente, o país asiático lidera o fornecimento de componentes desse tipo para o Brasil.

Galeria: Honda - Fábrica em Itirapina (SP)

A Anfavea diz que a maioria das montadoras estuda alternativas, como importação via aérea e alterações na velocidade da linha de produção. Ainda assim, há cobrança em relação ao governo federal sobre estímulos à economia - medida já adotada por vários países. Outro ponto questionado diz respeito às variações do dólar. Segundo a Anfavea, o atual patamar de R$ 4,60 poderá elevar o custo anual de importação da indústria automotiva de US$ 13 bilhões para US$ 19 bilhões, com reflexo direto nos preços e, consequentemente, nas vendas. A entidade estima que o gasto por veículo produzido no país aumentaria em R$ 2.600.