Sedã adotará versão híbrida plug-in com autonomia de 50 km e, no futuro, terá o esportivo C53.

Com a BMW colocando o novo Série 3 nas lojas e a Audi reestilizando o A4, a Mercedes-Benz tinha que fazer alguma coisa com o Classe C para que continuasse competitivo. O sedã apareceu em testes diversas vezes e adiantam que a fabricante está trabalhando muito na próxima geração, que tem chances de aparecer ainda neste ano como modelo 2021. E agora adiantamos como ele deve ficar com uma projeção.

Inspirando-se em modelos mais atuais da Mercedes como Classe A e CLA, o novo Classe C irá incorporar o desenho que estreou no CLS e que foi levado aos últimos lançamentos da fabricante. Terá faróis mais finos e angulares, com luzes diurnas em LED no contorno superior. Para não se embolar com os sedãs mais baratos, o próximo Classe C deve crescer tanto em tamanho quanto em quantidade de equipamentos e, obviamente, preço.

O aumento no tamanho irá deixar o carro um pouco mais pesado, mas este ganho será compensado pela adoção da plataforma MRA2, que utiliza mais alumínio em sua construção. Como resultado, a nova geração do Classe C deve pesar praticamente o mesmo que o atual, ou até menos dependendo da quantidade de alumínio utilizada.

Sabendo que a Mercedes deseja fazer carros o mais esguios possível, há uma boa chance de que o Classe C siga a tendência dos últimos veículos da empresa com uma aerodinâmica bem eficiente, de forma a aumentar sua eficiência. Afinal, o Classe A Sedan é o carro de melhor aerodinâmica à venda hoje no mundo, com um Cd de apenas 0,22. O novo Classe C não deve conseguir chegar ao mesmo número, porém deve conseguir superar os 0,26 da geração atual.

Quando reestilizou o Classe C atual, a fabricante manteve a central multimídia, o que não deve acontecer com a nova geração. Espere pela nova MBUX, sistema utilizado pelo Classe A, CLA e que estará em praticamente todos os carros da empresa no futuro, com duas telas de 12,3", uma para a multimídia e outra para o painel de instrumentos. Conta também com sistemas mais avançados, como comando de voz.

A motorização ainda é um mistério. A única coisa que sabemos a respeito é que terá uma versão híbrida plug-in, que já apareceu rodando pela Europa (veja na galeria acima). Ela utiliza um conjunto de baterias de 13,5 kWh que deve entregar uma autonomia de 50 km. Caso prefira as versões esportivas, a boa notícia é que a Mercedes já confirmou que irá lançar o inédito C53, posicionada abaixo do C63.

O lançamento do novo Mercedes-Benz Classe C ainda não foi confirmado. Há chances de que seja revelado ainda neste ano, no último trimestre, estreando como versão 2021. Se ficar para o ano que vem, sua apresentação pode acontecer no Salão de Genebra (Suíça), em março.