O sedã ainda é referência em alguns aspectos, mas em outros faz bom papel diante da concorrência?

Não é raro cruzar com um Renault Logan pelas ruas. É um dos favoritos dos motoristas de taxi e aplicativos pelo amplo espaço interno que traz, mas a concorrência ficou mais acirrada com a chegada de novos concorrentes renovados, como o Chevrolet Onix Plus, Hyundai HB20X e até mesmo algumas versões do Volkswagen Virtus. 

Testamos aqui o Renault Logan Iconic 2020, versão topo de linha com o motor 1.6 e câmbio CVT e um visual aventureiro praticamente obrigatório - o que poderia ser um bom negócio se bem aproveitado pela marca francesa. Vamos falar os prós e contras do sedã que foi reestilizado em 2019, mas cobra alto por isso - são R$ 79.190 na etiqueta. 

Prós

Teste - Renault Logan Iconic

Com base nos primeiros flagras que vimos do novo Logan, era esperada uma versão Stepway do sedã, o que não aconteceu exatamente. A suspensão elevada e os apliques fazem parte do conjunto para a colocação do câmbio CVT na plataforma, que teve que ser elevada pelo formato e posição da caixa. Sem isso, ela ficaria próxima do solo e poderia ser danificada em alguma pancada.

O lado positivo é que elevou a altura do solo do Logan em 53 mm, chegando aos 18,5 cm. Isso é um atrativo ao público que procura essa característica dos aventureiros, mas precisam do espaço do sedã, principalmente no porta-malas, aqui com 510 litros. 

Teste - Renault Logan Iconic

O Logan nasceu com duas bases importantes: ser barato e espaçoso. A primeira parte ele deixou um pouco de lado, mas a segunda ele ainda é uma referência mesmo perto da turma mais nova. Tem entreeixos pouco menor que o do Virtus (2.635 mm vs. 2.651 mm), mas não deve nada a ele principalmente aos ocupantes traseiros e quando falamos em espaço para os ombros. A carroceria menos cheio de curvas e caimentos ajuda bastante nisso. No porta-malas, 510 litros de capacidade, versus os 521 litros do Volkswagen, que tem uma etiqueta de começa nos R$ 77.090 para ter o câmbio automático na versão básica. 

Teste - Renault Logan Iconic

O mercado colocou tanto a dupla Sandero e Logan quanto o Duster em um patamar de confiabilidade mecânica que os carregam até hoje. Por isso, são bastante pedidos principalmente em frotas e uso extremo, o que explica o uso extenso por taxistas e motoristas e aplicativos. Apesar de um projeto defasado, o Logan ainda atrai os clientes com pilares importantes aos que não podem gastar tanto dinheiro. 

Contras

Teste - Renault Logan Iconic

Quando foi lançado, o Logan ter direção hidráulica não seria um problema. Mas a concorrência trouxe a direção elétrica, mais leve e comunicativa dependendo do acerto adotado pela fabricante, enquanto a Renault apenas tirou o peso da bomba hidráulica do motor, optando pelo sistema eletro-hidráulico. Principalmente nas versões com a suspensão elevada, solavancos e buracos no piso são passados ao motorista, o que incomoda quando se passa muito tempo ao volante. Uma pena, pois o conjunto do motor 1.6 SCe com o câmbio CVT deixa o Logan bastante confortável principalmente no uso urbano, com boas respostas em baixas rotações. 

Teste - Renault Logan Iconic

O Renault Logan foi renovado ao mesmo tempo que o Sandero. Tem a nova dianteira, com luzes diurnas em LEDs, mudanças estruturais em prol da segurança, além dos 4 airbags e outras melhorias no interior, como os novos bancos e novo volante. Mas basta olhar a traseira do sedã, sua parte mais marcante e própria, pra perceber que nada mudou. Tirar o fator novidade de um modelo não ajuda nas vendas, ainda mais em um segmento tão acirrado. 

Teste - Renault Logan Iconic

O Logan Iconic traz alguns mimos, como os bancos em couro e acendimento automático dos faróis e o ar-condicionado automático. Em sua faixa de preço, tabelada em R$ 79.190, temos o VW Virtus 1.6 MSI AT (R$ 77.090), HB20S 1.0T AT Evolution (R$ 71.790) e Chevrolet Onix Plus 1.0T AT LTZ (R$ 75.550), citando os com projetos mais recentes. Se quiser mesmo o Logan pelos motivos positivos citados acima, opte pelo Zen 1.6 CVT, de R$ 72.890, que já traz ESP, 4 airbags e sistema multimídia com o mesmo conjunto mecânico da Iconic.

 

Ficha Técnica - Renault Logan 1.6 CVT 2020

MOTOR dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.597 cm³, duplo comando com variador na admissão, flex
POTÊNCIA/TORQUE

115/118 cv a 5.500 rpm / 16,0 kgfm a 4.000 rpm

TRANSMISSÃO câmbio automático CVT com simulação de 6 marchas, tração dianteira
SUSPENSÃO independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
RODAS E PNEUS liga leve de 16" com pneus 205/55 R16
FREIOS discos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EDB
PESO 1.160 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.350 mm, largura 1.730 mm, altura 1.570 mm, entre-eixos 2.635 mm
CAPACIDADES tanque 50 litros; porta-malas 510 litros
PREÇO  R$ 79.190 (Iconic)
MEDIÇÕES MOTOR1
    Renault Logan 1.6 CVT
  Aceleração  
  0 a 60 km/h 5,3 s
  0 a 80 km/h 8,1 s
  0 a 100 km/h 12,1 s
  Retomada  
  40 a 100 km/h em D 8,9 s
  80 a 120 km/h em D 8,9 s
  Frenagem   
  100 km/h a 0

39,4 m

  80 km/h a 0 24,3 m
  60 km/h a 0

13,7 m

  Consumo  
  Ciclo cidade 7,4 km/l 
  Ciclo estrada 10,7 km/l 

Galeria: Teste - Renault Logan CVT