É basicamente o modelo que era vendido aqui, mas com o nome Mondeo e uma tela enorme no painel

No mês passado, a Ford finalmente encerrou a produção do Fusion na América, uma decisão que foi tomada alguns anos atrás. Apesar disso, o sedã ainda é oferecido em alguns mercados, como na Europa (onde ele passou por um facelift, mas também se aproxima do fim de sua vida) e na China. E parece que ele vai sobreviver por mais tempo no país asiático, pois acaba de ser renovado.

Assim como acontece na Europa, o Ford Fusion é conhecido como Mondeo na China, mas com um design mais próximo do último facelift do Fusion que foi vendido aqui no Brasil. Isso o deixa bem diferente do Mondeo vendido na Europa, que tem visual mais refinado e inclusive uma variante Vignale com acabamento de luxo.

Galeria: Ford Mondeo 2020 (China)

É no interior que o Mondeo chinês fica realmente diferente. Ele recebeu uma tela de 12,3" na vertical, uma versão adaptada do sistema SYNC4 do Mustang Mach-E. O comunicado de imprensa da Ford diz que esta multimídia se chama SYNC+, feita especialmente para a China e que usa uma tecnologia de inteligência artificial da Baidu. 

Para o modelo 2020, o Fusion chinês terá duas opções de motorização, sempre a gasolina. A mais básica é o 1.5 turbo de 182 cv, enquanto a mais potente é a 2.0 turbo de 202 cv. Em ambos os casos, a única opção de transmissão é a automática de 6 marchas.

Os chineses poderão comprar o Fusion, ou Mondeo, por 192.800 yuans, o que dá cerca de R$ 149.824 na cotação atual. São quatro versões, além dos pacotes opcionais. Como comparação, o Fusion era vendido no Brasil em três versões, com preços entre R$ 149.990 e R$ 182.990. Ele saiu das lojas em maio, antecipando o fim da produção no México.

Fotos: divulgação