Modelo com plataforma do novo Fit terá menos de 4 metros e motor 1.0 turbo

Aos poucos o mercado está criando um novo segmento para aproveitar melhor a onda dos SUVs, formado pelos crossovers com menos de 4 metros de comprimento. A Honda é mais uma que apostará nesta nova moda, criando um modelo abaixo do HR-V e que será revelado na metade do ano que vem, como revela a revista japonesa Best Car. O modelo já estaria sendo desenvolvido como um carro global, para encarar concorrentes como o Hyundai Venue e o recém-lançado Toyota Raize.

A estratégia da Honda é simples de entender. O novo HR-V, previsto também para o ano que vem, irá crescer um pouco para ter 4,4 metros de comprimento, além de adotar um design um pouco mais de cupê e ficar mais refinado. Adotará até mesmo o sistema híbrido usado pelo novo Fit no Japão e na Europa. Assim, ficará posicionado como uma opção mais cara, continuando a brigar com o Toyota C-HR.

Esta mudança abrirá espaço para o novo carro da Honda, com o papel que o WR-V cumpre no Brasil e em alguns países como Índia. Este novo modelo utilizará a plataforma do novo Fit e City, da mesma forma que o HR-V, mas mirando no segmento abaixo. Segundo a Best Car, ele terá 3,99 metros de comprimento, 1,69 m de largura e 1,60 m de altura, com um entre-eixos de 2,55 m.

Pelo parentesco com o Fit, este novo crossover da Honda aproveitará as mesmas motorizações. Ou seja, terá o 1.0 turbo de três cilindros, que já equipa o novo City na Tailândia e entrega 122 cv. A Best Car diz que uma fonte descartou este motor para o mercado japonês, sendo a opção global. No Japão, ele adotaria o 1.5 híbrido, com dois propulsores elétricos, mesmo conjunto do novo Fit.

Por ser um modelo global, o novo SUV da Honda já é visto como certo para muitos mercados, inclusive os emergentes. Pelo seu posicionamento, seria um substituto natural ao WR-V, versão crossover do Fit e que é vendida em apenas alguns países, como Brasil e Índia. E, como foi lançado em 2017 e já está ganhando uma reestilização, o WR-V caminha para a metade final de seu ciclo de vida. Quem sabe este novo carro não venha ao Brasil para ocupar a sua vaga.

Veja também o vídeo sobre o novo WR-V