Ficaria caro mudar a estrutura de carbono composto e refazer os testes aerodinâmicos

Quando os novos Shelby GT350 e GT500 foram revelados, eles não apareceram com a mesma frente que o Ford Mustang 2019 reestilizado. Nunca descobrimos a razão disso, até agora, quando o site FordAuthority finalmente conseguiu ouvir uma resposta que explica esta diferença entre o esportivo e sua versão preparada.

Galeria: Ford Mustang Shelby GT350 2019

O FordAuthority aproveitou o lançamento do GT350 2019 para perguntar à Ford porque ele não tem a mesma cara que o Mustang. "O Shelby GT350 é um modelo purista de alto desempenho. O time focou seus esforços em ir atrás do que os clientes mais querem, como mais aderência e melhora na suspensão." É uma resposta bem vaga, não é?

Felizmente, o site foi além e começou a apurar a verdadeira razão. Os modelos da Shelby utilizam um subframe frontal de carbono composto feito pela Ford, que é diferente do subframe usado pelo Mustang normal. É uma estrutura totalmente diferente, que reduz o peso e deixa o chassi mais firme. Mudar o design exigiria refazer toda essa peça para encaixar com a nova frente, o que custaria muito dinheiro.

Além disso, o GT350 e o GT500 tem alguns requisitos aerodinâmicos e de refrigeração específicos, então mudar o para-choque, os faróis e o capô faria com que os engenheiros da Shelby realizassem mais modificações. Isso envolve criar o projeto no computador e fazer mais testes no túnel de vento. Ou seja, por que colocar mais dinheiro em algo que já parece bom e que os clientes gostam?

O que tudo isso significa é que não veremos os modelos Shelby GT350 e GT500 adotarem um novo design até que o Mustang troque de geração. E isso não irá acontecer tão cedo, pois rumores dizem que ele deve continuar em linha até 2026.

Source: FordAuthority

Galeria: Ford Mustang Shelby GT500 - Design e Aerodinâmica