Marca adianta que modelo sul americano terá diferenças em relação ao chinês

Logo após revelar que o Volkswagen Tarek será produzido na Argentina no início de 2021, Leonardo Ezcurra, gerente-executivo de lançamento do projeto concedeu uma entrevista ao site Argentina Autoblog. No texto, o executivo fala mais sobre o SUV médio, que segundo ele virá para disputar pela liderança do segmento e bater o Jeep Compass em vendas inclusive no Brasil, adiantando alguns detalhes como motorização e mudanças em relação ao modelo chinês.

A entrevista já abre com Ezcurra dizendo que o nome do carro pode nem ser Tarek, pois é apenas o batismo do projeto e ainda não há uma definição se ele será mantido durante o lançamento do carro. Como a fabricante já havia dito, o SUV não será vendido apenas na China, pois será um modelo global. Uma das imagens na apresentação revelaram que ele será feito no México, abastecendo também Canadá e Estados Unidos; e Rússia.

O executivo também revelou que o SUV médio será vendido somente com o motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm, produzido aqui no Brasil. Nada de versão manual ou com tração integral, sendo oferecido somente com a transmissão automática Tiptronic de 6 marchas, ao contrário do modelo chinês que usa a caixa automatizada DSG de dupla embreagem e 7 posições. A tração integral ainda está em estudos, mas para um segundo momento.

Como o gosto dos chineses é bem diferente do nosso, a Volkswagen fez clínicas na região com um Tharu importado da China e entende que mudanças precisam ser feitas no design. De acordo com Ezcurra, a versão argentina terá uma quantidade menor de detalhes cromados e uma linha de cintura mais alta, para deixá-lo com aspecto mais agressivo. O executivo diz que também irão mexer um pouco no interior.

A fábrica em Pacheco começará a produzir as primeiras unidades pré-série no último trimestre de 2020, dependendo da finalização das obras de atualização do complexo. Ezcurra diz que o lançamento comercial deve acontecer no começo de 2021, chegando tanto à Argentina quanto ao Brasil. Como será um modelo entre o T-Cross e o Tiguan, os preços devem começar em R$ 120 mil, chegando à R$ 150 mil na versão topo de linha, enquanto o Tiguan deve deixar de contar com a versão 1.4 TSI de cinco lugares.