Sedã abrirá mão dos propulsores grandes para dar lugar à eletrificação

Os fãs mais puristas da BMW certamente não irão gostar, mas tudo indica que o sedã Série 7 deverá abrir mão dos tradicionais motores V8 e V12 na próxima geração. A maioria das montadoras está investindo em propulsores menores de quatro e seis cilindros com maior rendimento e a marca bávara definitivamente não está imune à essa tendência.

Na prática, tudo indica que a linhagem atual, recentemente reestilizada, será a última a contar com motores de maior número de cilindros e, depois disso, a eletrificação passará a dominar o conjunto mecânico.

Galeria: BMW Série 7 2020

Como a maioria dos novos BMW, o próximo Série 7 deverá adotar o mesmo motor de 3.0 litros em linha (B58) de carros como Série 2 e Série 3. A única diferença é que o Série 7 terá eletrificação completa e rendimento superior em termos de potência e desempenho, tanto em variações híbrida quanto plug-in.

Dessa forma, as atuais opções 4.4 V8 de 530 cv e 76,4 kgfm de torque, bem como 6.6 V12 de 608 cv e 86,6 kgfm de força serão as últimas de uma série considerada histórica.

Fonte: BMW Blog