Enrolar sua chave em papel alumínio pode não ser o suficiente

Chave presencial está entre os itens mais procurados na hora de comprar um carro nos EUA e na Europa - mesmo os modelos mais baratos por lá oferecem este item por um adicional, enquanto sedãs e SUVs intermediários vem com este equipamento de série. Ela facilita a vida, é verdade, no entanto, de acordo com um novo estudo também é bem perigosa por sua falta de segurança.

O German General Automobile Club (ou ADAC), clube do automóvel da Alemanha, testou 237 carros modernos de 30 marcas diferentes e descobriu que 230 deles estão vulneráveis a ataques de hackers usando equipamentos baratos que podem ser comprados online. O ataque, chamado de "retransmissão", permite que os ladrões destravem e liguem o veículo sem precisar da chave. O aparelho procura pelo sinal wireless emitido pela chave e o amplifica para que seja possível abrir o carro, ligar o motor e sair dirigindo. O automóvel vai continuar funcionando enquanto não for desligado, então é o suficiente para que o ladrão leve o veículo para o local desejado.

A pesquisa do ADAC diz que, de todos os 237 veículos testados, apenas três modelos conseguiram resistir ao ataque e todos eles são da Jaguar Land Rover: o Jaguar I-Pace, assim como as versões mais atuais do Land Rover Discovery e Range Rover Evoque. Outros quatro veículos poderiam ser apenas destravados ou ligados, enquanto os demais 230 carros são vulneráveis a todos os tipos de ataques.

O caso foi visto com tanta seriedade pelo ADAC que ele declarou como uma grande ameaça e recomenda que os proprietários leiam os manuais de seus carros e descubram como desativar a chave presencial quando estiverem em um local pouco seguro.

Outra opção, apontada como muitos como uma solução simples e barata para este problema, é envolver a chave presencial em papel alumínio, mas a ADAC diz que não há garantia de que isso irá bloquear totalmente o sinal. O ideal seria comprar e utilizar uma bolsa bloqueadora de sinal para chaves, que pode custar ao equivalente de R$ 30 a R$ 100 em lojas online.

Fonte: ADAC via AutoExpress