Ação faz parte de uma campanha promovida pelo ANCAP, que avalia a segurança dos carros vendidos na Austrália

Principal órgão responsável por avaliar a segurança dos carros vendidos na Austrália, o ANCAP anuncia nesta semana o lançamento de uma campanha de conscientização e alerta para os motoristas. Focada na evolução vivida pelo setor no últimos anos, a ação toma como base a comparação entre a resistência de um modelo produzido da década de 1990 com um modelo desenvolvido nos dias atuais, demostrada por meio de um teste de impacto entre um Toyota Corolla ano 1998 e outro ano 2015.

Austrália ANCAP
 

"Esta é a primeira campanha do gênero em que o veículo é considerado o fator salva-vidas em um acidente", disse o diretor executivo da ANCAP, James Goodwin. “Muitas campanhas de segurança nas estradas tendem a se concentrar em aspectos comportamentais, como velocidade, fadiga, embriaguez ao volante e fiscalização. Certamente são fatores vitais, mas o que queremos mostrar nesta esta campanha é a importância de escolher um veículo mais seguro", completa.

Mais sobre segurança:

Goodwin lembra ainda que muitas vezes o consumidor erroneamente acha que o carro mais velho é mais seguro e mais forte que o novo, mas este teste serve justamente para provar o contrário. Tanto é que no impacto a 64 km/h o dummie do Corolla 2015 apresentou apenas leves riscos de lesões na cabeça, enquanto o manequim do modelo 1998 demonstrou risco de lesões graves na cabeça, tórax e perna. "Não sobreviveria", disse o relatório.

Na Austrália, veículos mais antigos representam apenas 20% da frota, mas estão envolvidos em 37% de todos os acidentes fatais. Por outro lado, modelos produzidos entre 2012 e 2017 respondem por 31% da frota, mas representam apenas 12% das fatalidades.

Fotos: Divulgação

Austrália ANCAP