Executivo da FCA sugere que montadoras, por ora, se concentrem nos híbridos

Em entrevista recente concedida ao site norte-americano The Street, Sergio Marchionne fez declarações um tanto céticas quanto ao futuro da indústria no campo da propulsão elétrica. Na visão do chefão do grupo FCA, atualmente não existe um modelo econômico viável para produzir carros elétricos e, ao mesmo tempo, obter lucro. Isso porque os custos de desenvolvimento e produção ainda são muito altos, o que impossibilita retornos financeiros satisfatórios diante dos pesados investimentos e das vendas ainda limitadas. 

Leia também:

Como exemplo de como é difícil ganhar dinheiro nesse setor, Marchionne citou a californiana Tesla. "Eu gosto muito do Elon Musk, ele é um bom amigo e fez um trabalho fenomenal de marketing na Tesla, mas não estou convencido da viabilidade econômica do modelo que ele está lançando", disse em referência o sedã Model 3, apresentado recentemente.

Sergio Marchionne vs Donald Trump

No momento, o executivo acredita que as montadoras devem se concentrar na produção de híbridos, pelo menos até que os elétricos tenham seus custos de desenvolvimento barateados. "Precisamos navegar por esse processo de forma combinada entre combustão e eletrificação, para produzir pelo menos o mínimo de retornos econômicos que permitam nossa continuidade", concluiu.

Nas fotos, o fracassado Fiat 500e, que, segundo consultorias especializadas, teria gerado prejuízo de mais de US$ 20 mil por unidade vendida - números que o próprio Marchionne fez questão de refutar, alegando que os cálculos realizados foram incorretos.

Fotos: Divulgação

Galeria: Fiat 500e - Elétrico