Teste instrumentado Suzuki Vitara 4Sport - Quem vê cara não vê emoção

O Suzuki Vitara chegou ao Brasil em 1991, ainda no inicio da liberação de importação de veículos. Fez fama com seu tamanho compacto, motor econômico e uma capacidade off-road de dar inveja a modelos maiores e mais caros. A quarta geração, lançada em 2016, é um pouco menos aventureira e mais urbana para tentar fazer frente aos novos concorrentes (que atendem por Jeep Renegade, Honda HR-V, Nissan Kicks e Hyundai Creta, entre outros) e ser uma figura mais presente pelas ruas. 

 

Suzuki Vitara 4Sport

 

A versão de topo, 4Sport, foi a escolhida para este teste por ser a portadora de um dos maiores trunfos do modelo na briga por mercado: o eficiente motor 1.4 turbo (BoosterJet) com injeção direta de gasolina, de 146 cv e 23,5 kgfm de torque desde os 1.700 rpm, ligado ao câmbio automático de seis marchas. Testamos a versão com tração apenas dianteira, mas há opção de 4x4, outro diferencial do Vitara.

 Foguetinho peso-pena

Usando o Vitara no trajeto diário, já tinha percebido um carro rápido. Mas quando chegaram os números de desempenho na pista, ele surpreendeu mais ainda. Com os dados em mãos, o "Suzukinho" (como carinhosamente o apelidamos) deixou todos os concorrentes diretos comendo poeira e se igualou a modelos que usamos como referência em motores turbinados de baixa cilindrada.

Por exemplo, os 8,5 segundos para ir de 0 a 100 km/h deixam o Chevrolet Tracker 1.4 turbo para trás (9,3 s). É número para bater inclusive o Chevrolet Cruze Sport6 1.4 turbo (8,7 s) e o VW Golf 1.4 TSI (8,6 s). Na frenage...